Série B

Náutico precisa contornar problemas para voltar a vencer

Após semana conturbada, alvirrubros tentam reencontrar o caminho das vitórias na Série B

Felipe Amorim
Felipe Amorim
Publicado em 11/10/2014 às 7:00
Alexandre Gondim/JC Imagem
Após semana conturbada, alvirrubros tentam reencontrar o caminho das vitórias na Série B - FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Se até poucos dias atrás a calmaria ditava o ritmo de um Náutico à época invicto em três partidas, após a goleada por 4x1 sofrida para o América-MG, na última terça-feira, na Arena Pernambuco, tudo mudou. Hoje à tarde, às 16h10, diante do ABC-RN, pela 29ª rodada da Série B e novamente atuando em casa, os jogadores alvirrubros precisarão mostrar que o pacto de vitórias feito entre eles depois do tropeço é realmente para valer.

Na última quinta-feira, dia do primeiro treino com bola depois da goleada, os atletas tiveram uma reunião entre eles, atrasando a movimentação em mais de uma hora. No fim, ficou decidido que eles não concentrariam mais em decorrência dos atrasos nos pagamentos (três meses de salários e quatro meses de direito de imagem), acordos não cumpridos por parte da atual diretoria e até aluguéis. Diante dos fatos negativos, surgiram até rumores de uma possível greve. Fato negado por todas as partes.

Ontem, após toda a repercussão negativa criada em torno da não concentração e de mais um atraso de uma hora para o início dos trabalhos, a possibilidade não só foi refutada como nenhum jogador falou com a imprensa. Apenas o técnico Dado Cavalcanti apareceu na sala de entrevistas para justificar os recentes entreveros e tentar acalmar os ânimos. “Ontem (quinta), houve uma conversa entre os jogadores numa sala fechada e nessa conversa só foi discutido sobre os próximos dez jogos. Após essa conversa, num papo comigo dentro do campo, eles solicitaram não concentrar mais. Só que isso, infelizmente, trouxe uma repercussão negativa. Em momento algum falaram em greve. Pelo contrario, aqui sempre se trabalhou muito. E hoje (ontem), numa nova conversa os próprios jogadores, eles falaram que por conta dessa repercussão pediram para concentrar”, disse o treinador.

Questionado se o atraso salarial poderia prejudicar o rendimento dos atletas nessa reta decisiva, na qual são necessárias oito vitórias nos dez jogos restantes para continuar sonhando com o acesso, o treinador foi até enfático. “O problema não são (apenas) as promessas não-cumpridas. As dificuldades da direção são muito grandes. Por isso a todo momento temos tentado entender e dar o nosso melhor dentro de campo. Agora é fato que temos problemas. A questão de atraso salarial num grupo grande sempre é representativa e a insatisfação acaba sendo maior do que o normal”, afirmou.

Diante de toda a confusão dos bastidores de um elenco que finalmente encontrou a forma de jogar e ainda mantém – mesmo que pouca – chance de acesso, Dado Cavalcanti garante que todos estão focados no êxito esta tarde. “A motivação de um desportista é a vitória, é vencer. No futebol, o sol só brilha para vos vencedores. Por isso, vamos em busca da vitória diante do ABC para depois pensar nos demais jogos”, encerrou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias