Resolvido

Marcos Freitas e Gustavo Ventura apagam primeiro "incêndio" no Náutico

Novo artigo no estatuto do clube proíbe que integrantes do Executivo presidam o Deliberativo na gestão imediatamente posterior

Diego Toscano
Diego Toscano
Publicado em 17/12/2015 às 20:16
Fernando da Hora/JC Imagem
Novo artigo no estatuto do clube proíbe que integrantes do Executivo presidam o Deliberativo na gestão imediatamente posterior - Fernando da Hora/JC Imagem
Leitura:

O que poderia ser o primeiro estranhamento entre os futuros presidentes do Executivo e do Deliberativo do Náutico, Marcos Freitas e Gustavo Ventura, foi resolvido de forma rápida com um telefonema, dando sinais de que a união entre as partes, fraturada nos dois últimos anos, não é promessa furada de campanha.

No início da tarde desta quinta (17), do “nada”, disseminou-se nas redes sociais a informação que Gustavo Ventura não poderia assumir a presidência do Conselho, por ferir o artigo 31 do novo estatuto que proíbe que integrantes do Executivo presidam o Deliberativo na gestão imediatamente posterior.

A norma foi inserida no novo estatuto do clube para impedir que presidente do Conselho avalie as contas da sua própria gestão.

O impasse se deu pois, na ocasião da aprovação do novo estatuto, ficou acordado que ele só valeria para a próxima eleição, não para essa. O que é razoável, afinal, ele foi aprovado no final de novembro e o pleito, no início de dezembro.

Tanto Marcos Freitas, quanto Gustavo Ventura, concordam com a proibição. Mas ambos também comungam da opinião de que, se era permitido e o sócio elegeu a chapa de conselheiros encabeçada por Ventura, deveria prevalecer o poder que emana dos sócios.

A saída partiu de um telefonema de Marcos Freitas para Gustavo Ventura. Ambos decidiram, em comum acordo, que Ventura permaneceria candidato a presidente e que, no período em que as contas dele fossem analisadas pelo Conselho, voluntariamente ele se ausentaria com um pedido de licença.

“Para mim, Gustavo Ventura é o nome mais preparado para assumir à presidência do Conselho. É o meu candidato”, disse Marcos Freitas. Já Ventura fez questão de ressaltar que tem certeza absoluta que informação, plantada do “nada”, não veio do futuro presidente.

Uma saída “republicana”, na visão de ambos. E na do Blog, também. Na ausência de Ventura, assumiria temporariamente o vice. O nome cotado para a função é do conselheiro Antônio Carlos Braga.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias