Mata-mata

Tirando lições do Santa, Náutico aposta em contra-ataque na Copa do BR

Timbu usará exemplo do Santa para não ser surpreendido contra o Flu de Feira

Diego Toscano
Diego Toscano
Publicado em 13/02/2018 às 16:12
Léo Motta/JC Imagem
Timbu usará exemplo do Santa para não ser surpreendido contra o Flu de Feira - FOTO: Léo Motta/JC Imagem
Leitura:

O Clássico das Emoções, pela segunda vez nos últimos três anos, não ocorrerá na Copa do Brasil. Em 2016, por "culpa" do Náutico, que foi eliminado pelo Vitória da Conquista. Também da Bahia, o Fluminense de Feira despachou o Santa Cruz e vai pegar o Timbu na segunda fase da competição nacional, nesta quarta (14). E o clube alvirrubro vai tirar lições da eliminação coral para tentar avançar no torneio.

"Já enfrentei uma quatro vezes o Fluminense quando estava no Campinense. Eles têm um campo bom de jogar, o Joia da Princesa, e que gosta de jogar nos contra-ataques. Fizeram isso com o Santa Cruz, que teve maior posse de bola e volume, mas viu o Fluminense ser mais efetivo e matar o jogo. Eles também vão nos esperar um pouco, para que a gente proponha o jogo. Então vamos tentar usar da mesma arma: aproveitar os contra-ataques e ter êxito na partida", afirmou Negretti, volante do Náutico.

PÉ DE IGUALDADE

Mesmo indo para o 12º jogo da temporada e no terceiro mata-mata de 2018, Negretti não vê o Náutico na frente do Fluminense de Feira pela vaga na terceira fase da Copa do Brasil. "O ritmo de jogo é um fator positivo. O Náutico é uma das equipes que mais atuou no ano. Já o Fluminense vai pra sexta partida. Esses jogos a mais podem nos ajudar, mas é um confronto atípico. É um mata-mata diferente, com jogo único. Nesse jogo, não tem vantagem: as duas equipes precisam vencer e empate vai para pênaltis. Dá uma zerada e a nossa proposta de jogo será diferente", finalizou.

Últimas notícias