timbu

Diógenes Braga fala sobre 2020: 'responsabilidade de não voltar para a Série C'

Vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, falou sobre o trabalho que será desenvolvido no próximo biênio da gestão do presidente Edno Melo

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 08/12/2019 às 11:30
Notícia
Reprodução/Twitter
Vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, falou sobre o trabalho que será desenvolvido no próximo biênio da gestão do presidente Edno Melo - FOTO: Reprodução/Twitter
Leitura:

O vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, lembrou o trabalho realizado no clube nos últimos dois anos e destacou o acesso à Série B como ponto final de ciclo e recomeço de uma nova gestão. Para o dirigente, o novo objetivo do clube é subir para a Série A, mas com responsabilidade de não correr o risco de voltar para a terceira divisão. 

Ele explicou. "A continuidade de um trabalho que se iniciou. É um trabalho de resgate que foi feito e que com muito trabalho conseguiu evoluir dentre tantas conquistas. E a gente conseguiu sair da Série C e dentro da Série B, claro, conseguir buscar o acesso à Série A. Agora lembrando das responsabilidades de não se correr riscos de voltar à Série C. Isso não pode acontecer de forma alguma no Náutico. Nunca mais na história do clube. Tem a responsabilidade de um passo de cada vez. Fazer as coisas dentro do que é possível. Com audácia, mas com responsabilidade. Depois de várias eleições bem acirrada, essa aclamação demonstra um caminho de pacificação do clube e mostrando que o entendimento pode fazer o Náutico ir para cima", comentou Diógenes.

CONSELHO DELIBERATIVO 

"A gente prega que o clube esteja desarmado e que se evite certos tipos de debate, que não são produtivos para o clube. Acaba que demanda muita energia que ao invés de ser usada para resolver problemas do clube passa a ser colocada para questões internas", observou Diógenes, sobre o bate-chapa na eleição do Conselho Deliberativo.  

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias