Náutico

Após ser vaiado, técnico do Náutico diz que seria estranho se fosse aplaudido empatando

Náutico ficou no 1x1 contra o ABC

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 28/02/2020 às 12:32
Notícia
 Foto: Leo Motta/JC Imagem
Náutico ficou no 1x1 contra o ABC - Foto: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

Mesmo com a equipe momentaneamente na zona de classificação para o mata-mata da Copa do Nordeste, o técnico do Náutico, Gilmar Dal Pozzo, foi alvo de vaias por parte da torcida, que também chamou o comandante de burro após o empate de 1x1 contra o ABC, no estádio dos Aflitos. E alguns jogadores do Timbu saíram em defesa do treinador depois do jogo. Na entrevista coletiva após o duelo, Dal Pozzo falou sobre o assunto, e disse que estranharia se fosse aplaudir após empatar em casa.

"Ia estranhar se o torcedor me aplaudisse empatando em casa. É uma revolta do torcedor que eu não sei se vou dizer que é normal, enfim. Eu peguei um cenário muito difícil quando cheguei no Náutico. Tendo que ganhar um jogo de seletiva para disputar essa competição que hoje a gente está classificado e faltam três rodadas. A gente pegou o náutico na Série C. Série C é um terror, é complicado. E a gente colocou o Náutico na Série b, sendo campeão. E a gente não tá se aproveitando apenas dessas conquistas. A gente trabalhou muito no mês de dezembro. A sequência de jogos ela foi cruel para nós e para todas as equipes e a gente suportou isso. A gente foi eliminado da Copa do Brasil. E hoje a gente voltou para nossa realidade que é a Copa do Nordeste e o Estadual que a gente está bem classificado", disse o treinador.

UNIÃO

Na coletiva, o treinador também falou das lesões, fator que, na opinião dele, vem sendo a principal dificuldade do Náutico até aqui e o motivo pelas oscilações. "Essa semana eu fui questionado sobre as lesões. Quando tu perde dois, três titulares, o grande desafio do técnico é buscar soluções. E isso demora um pouquinho, não é de uma hora para outra para a gente voltar em alto nível que nem jogamos contra o Toledo e contra o Sport. A gente está se reconstruindo como equipe e como clube", destacou o treinador.

"Essas oscilações vão acontecer. Já aconteceram em outros anos, mesmo com o náutico na Série A. Essas oscilações são normais. Se o torcedor não tiver paciência, vamos fazer o que? Ele tem que entender. É difícil? É. Nós queríamos vencer, e o torcedor vem a campo para isso. Mas tem que aplaudir. O Náutico vem de uma ascensão e com o apoio de todo mundo nós vamos voltar a ser fortes e voltar a jogar um bom futebol, que é aquilo que me compete, mas por conta das lesões a gente vem tendo dificuldade. Então nós precisamos da união de todos", finalizou o treinador.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias