Londres

Comitê Olímpico minimiza bomba falsa em estádio

Funcionário teria entrado no local portando uma vasilha plástica, com baterias, um telefone e uma quantidade de massa modeladora utilizada em explosivos

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 07/05/2012 às 13:01
Leitura:

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres minimizaram nesta segunda-feira (7) a notícia, publicada pelo jornal britânico The Sun no domingo, de que um funcionário teria conseguido entrar no Estádio Olímpico com uma bomba falsa.

Segundo a publicação, o funcionário não teria enfrentado resistência na entrada, sem ser barrado por revistas ou detectores de metal. Ele estava portando uma vasilha plástica, com baterias, um telefone e uma quantidade de massa modeladora utilizada em explosivos.

Ainda de acordo com a publicação, o funcionário foi barrado na primeira tentativa, mas conseguiu entrar no estádio com a bomba falsa logo na sequência, sem dificuldades. Para o jornal, a falha de segurança é grave e poderia comprometer a realização da Olimpíada.

O Comitê Organizador, contudo, minimizou a notícia. "Com certeza uma vasilha de plástico contendo baterias, um celular e alguns fios soltos não configuram uma ameaça", registrou o Comitê em nota. "No entanto, vamos averiguar as alegações para nos certificar de que nosso programa de segurança é tão robusto quanto necessitamos".

A questão da segurança tem sido uma das maiores preocupações do Comitê Olímpico desde que Londres ganhou o direito de sediar os Jogos. Ao todo, os organizadores já gastaram cerca de 1 bilhão de libras (aproximadamente R$ 3 bilhões) para montar o esquema de segurança da Olimpíada.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias