Torcida organizadas

'Duro golpe contra facções', diz chefe da Polícia Civil sobre prisões na Torcida Jovem

Operação 'VAR' prendeu o presidente e mais oito integrantes da organizada

JC Online
JC Online
Publicado em 03/09/2018 às 20:42
Reprodução/Polícia Civil
Operação 'VAR' prendeu o presidente e mais oito integrantes da organizada - FOTO: Reprodução/Polícia Civil
Leitura:

“Um duro golpe contra facções que invadem e se inserem nas torcidas organizadas”. Foi assim que o chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Kherle, definiu a “Operação VAR”, que nesta segunda (3) prendeu nove integrantes da Torcida Jovem do Sport no Recife. Durante a ação, dez mandados de prisão foram expedidos por crimes de roubo, lesão corporal grave e dano ao patrimônio público no Recife. Entre os detidos, destaque para Henrique Marques Ferreira, presidente da Jovem. Todos os presos e materiais apreendidos foram encaminhados pela manhã para a sede do Comando de Operações e Recursos Especiais (CORE), no bairro de São José.

As ações do grupo já vinham sendo investigadas pela Polícia Civil há quase quatro meses. Toda a operação foi desencadeada após imagens de câmeras de segurança identificarem integrantes da torcida organizada entrando em confronto com as organizadas de Santa Cruz (Inferno Coral) e Atlético-MG no Aeroporto dos Guararapes, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife, no final de maio. A confusão foi na madrugada do dia 29 de maio, durante o desembarque da organizada do clube mineiro. Segundo a Polícia Federal, membros das TOs ficaram feridos e apresentaram sangramentos durante a briga.

Além da confusão no aeroporto, a operação também identificou e prendeu integrantes que participaram da agressão a um torcedor na Rua Cônego Barata, na Tamarineira, no dia 8 de julho. A briga ocorreu antes do jogo entre Santa Cruz x Remo, no Arruda e em partida válida pela Série C.

“Nós mapeamos o movimento (dos integrantes da Jovem), que no dia 29 de maio invadiram o Aeroporto dos Guararapes, vandalizaram e agrediram torcedores do Atlético-MG que desembarcavam no aeroporto. Fora isso, existiu também o envolvimento no dia 9 de julho, na Tamarineira. O líder da organização e coincidentemente o líder da Torcida Jovem se chama Henrique Marques Ferreira, tem 32 anos e foi capturado na manhã de hoje. Fora ele, mais oito pessoas foram presas. Dos 10 mandados, nove foram cumpridos. O objetivo da operação da Polícia Civil é banir dos estádios criminosos travestidos de torcedores e trazer paz para os estádios de futebol, para que as famílias possam participar com total segurança”, explicou Joselito Kherle.

De acordo com a Polícia Civil, outros quatro mandados de busca e apreensão domiciliar também foram cumpridos. Além do presidente Henrique, Bruno Batista da Silva, que é um dos diretores da Torcida Jovem, também foi alvo da “Operação VAR”, a 41° de Repressão Qualificada no Estado. Foram acionados 110 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.

NÃO PARA POR AÍ

Segundo o chefe da Polícia Civil, essa é a primeira de muitas operações que visam identificar e prender integrantes de torcidas organizadas envolvidas em diversos crimes.“É importante salientar que essa operação é a primeira de muitas que ocorrerão, e a investigação não encerra com a deflagração da operação. Muito pelo contrário: ela terá continuidade no sentido de identificar mais pessoas e capturar através dos mandados de prisão”, finalizou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias