'Abre alas'

Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão nas sedes da Inferno Coral e Torcida Jovem

As extintas torcidas organizadas são investigadas por prática de organizações criminosas e estão associadas ao cometimento de vários crimes graves

Marcelo Aprígio e Gabriela Máxima
Marcelo Aprígio e Gabriela Máxima
Publicado em 21/02/2020 às 6:44
Bruno Campos/Divulgação
FOTO: Bruno Campos/Divulgação
Leitura:

atualizada às 11h12

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta sexta-feira (21) uma operação para cumprir mandados de busca e apreensão nas sedes das extintas torcidas organizadas Inferno Coral e Torcida Jovem. Denominada "Abre Alas", a operação conta com a atuação de 40 policiais. De acordo com o delegado da Joel Venâncio, diretor de Coordenação de Operações e Recursos Especial (Core), os mandados de busca e apreensão foram solicitados após a confusão protagonizada pela uniformizada do Sport na festa de aniversário do Santa Cruz, no último dia 3 de fevereiro. Cocaína e armas foram apreendidas, além de nove pessoas terem sido encaminhadas para prestar depoimento sobre as drogas. 

A operação também tem como objetivo inibir novos confrontos durante o Carnaval, algo que estava previamente marcado para acontecer entre as torcidas. Por conta da droga apreendida, nove pessoas foram encaminhadas para a delegacia para prestar depoimento.

"Hoje foi deflagrada a Operação Abre Alas que visa cumprir quatro mandados de busca e apreensão. Esses mandados foram solicitados pela Delegacia de Polícia de Repressão e Intolerância Esportiva, que é aqui do Core. E foram deferidos pelo juiz da quarta vara criminal, doutor Gilvan Macedo, para serem cumpridos nas sedes da Torcida Jovem e Inferno Coral. Os mandados visam apreender objetos que são utilizados como armas. Já foram utilizados e possivelmente seriam novamente. Objetos como barrotes, bombas, soqueiras e dados cadastrais dos membros, porque estamos em um processo de identificação dessas pessoas para verificar se estão envolvidos em práticas criminosas", explicou o delegado.

>> Torcida Jovem, Inferno Coral e Fanáutico são extintas pela Justiça

>> 'Decisão histórica', diz governador de Pernambuco sobre fim de Jovem, Inferno Coral e Fanáutico

Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação
Bruno Campos/Divulgação
Operação Abre Alas na Torcida Jovem e Inferno Coral - Bruno Campos/Divulgação

A ação tem como objetivo apreender objetos que possam ser utilizados como armas, a exemplo de soqueiras, barrotes, bolas de sinuca, bombas e fogos de artifício. Além disso, os mandados expedidos pelo juiz da 4ª Vara Criminal da Capital autoriza a apreensão de documentos de identificação de suspeitos de cometer crimes e bandeiras roubadas de torcidas adversárias, que seriam usadas como troféu para incitar confrontos entre os grupos.

Leia o especial Dossiê Organizadas

De acordo com a polícia, a Inferno Coral e a Torcida Jovem são investigadas por prática de organizações criminosas e estão associadas ao cometimento de vários crimes graves como roubos, agressões e tentativas de homicídio.

Detalhes

O material apreendido na "Abre Alas será encaminhado para a Coordenação de Operações e Recursos Especiais (Core), no bairro de São José, Centro do Recife, onde ainda na manhã desta sexta (21) serão divulgados os detalhes da ação policial.

Últimas notícias