ufc

Vitor Belfort envolvido em polêmica após suposta declaração

O carioca garantiu que não aliviou a pressão no golpe por receio de quebrar o braço do norte-americano, que venceu a disputa no quarto round

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 24/09/2012 às 18:40
Leitura:

Os 14 segundos em que Vitor Belfort esteve prestes a finalizar Jon Jones com uma chave de braço no primeiro round da luta principal do UFC 152, no sábado passado, em Toronto, ainda rendem discussão. Nesta segunda-feira (24/9), o brasileiro de 35 anos usou o seu perfil no Facebook para afirmar que a entrevista dada por ele na coletiva oficial do Ultimate foi traduzida de forma errada pelo canal Combate, que fazia a transmissão ao vivo do evento. O carioca garantiu que não aliviou a pressão no golpe por receio de quebrar o braço do norte-americano, que venceu a disputa no quarto round e manteve o cinturão dos meio-pesados (até 93kg).

A suposta declaração de Belfort de que teria aliviado a pressão no golpe depois de ouvir o cotovelo de Jon Jones estalar, com medo de quebrar o braço do rival, não caiu bem entre os fãs do carioca e entre outros importantes nomes do MMA brasileiro. “A gente até tenta torcer pelo Vitor, mas depois de ouvir uma declaração que ele aliviou o braço do cara não dá”, escreveu Rafael Feijão, ex-campeão do Strikeforce em seu Twitter. Pedro Rizzo, ex-desafiante ao cinturão do UFC entre os pesos pesados, seguiu a mesma linha em seu Twitter: “A gente até tenta torcer, mas ele (Vitor) pede… PQP”, disparou.

Vitor se defendeu. “Gente, a tradução aí foi errada. Eu não soltei o braço dele coisa nenhuma. Eu vacilei em ouvir os estalos e perdi o encaixe por 1 segundo. Na sequência, o Jones saiu muito bem, foi só isso. Mérito do Jones e vacilo meu”, escreveu Belfort. Logo em seguida, o lutador fez questão de se desculpar por não ter vencido a luta, reconheceu estar abatido e pediu o direito de revanche contra Jon Jones”.

“Novamente afirmo que poderia render muito mais. Mas fico feliz pelo carinho de todos vocês e de maneira alguma estou dando desculpa pela derrota. Estou arrasado, mas vamos dar a volta por cima. Acho que mereço uma segunda chance com o Jones, pois peguei a luta com somente três semanas”, comentou o brasileiro, escalado para a disputa no início deste mês.

“Fiquei muito chateado comigo de, no quarto round, ter puxado ele para o chão, pois estava levando vantagem na trocação em pé. Bom, fica aqui meu desabafo comigo mesmo. Gente, novamente desculpa por não ter trazido o cinturão para o Brasil, mas, em breve, antes de me aposentar, darei esse presente a vocês”, concluiu.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias