basquete

Leoas iniciam o seu sonho dourado

Sport abre a Liga Nacional ante o Americana-SP, na Ilha, a partir das 11h deste sábado

Elias Roma Neto
Elias Roma Neto
Publicado em 18/01/2013 às 21:01
Leitura:

O Sport já tentou, no passado, entrar no seleto rol de campeões nacionais do basquete feminino. Em outras oportunidades, reforçou o time, mas não o suficiente para conseguir desbancar as equipes paulistas, que tradicionalmente levam a melhor na competição. Agora, em 2013, o Leão quer mudar a escrita. Com um investimento alto e contratações de medalhões do basquete nacional, o clube rubro-negro vai com tudo para levantar o troféu, com o primeiro passo sendo dado neste sábado (19/1), às 11h (horário do Recife), no ginásio Jorge Maia, na Ilha do Retiro, contra Americana, pela Liga de Basquete Feminino (LBF).

Para o duelo contra as adversárias – que são as atuais campeãs nacionais, paulistas e sul-americanas –, o elenco leonino está bem preparado. Segundo o treinador Roberto Dornelas, o diferencial das rivais é o entrosamento, uma vez que o Americana é o time mais vencedor dos últimos anos no basquete feminino e mudou pouco o grupo.

“Nos dois últimos anos, só perdeu três partidas. É uma equipe muito conceituada e com um padrão de jogo bem definido. Será um grande teste”, declarou Dornelas, que acompanhou a maioria dos jogos de Americana durante o Campeonato Paulista, estudando os pontos que o Sport poderá aproveitar.

O treinador não adiantou o time titular, mas o quinteto terá a armadora Adrianinha, a pivô Érika e a lateral Alex Montgomery, principais destaques do elenco. As outras duas vagas deverão ser preenchidas por duas entre Palmira, Luciana Angeloni e Franciele – cada uma pode contribuir mais em determinado setor do time. Palmira tem um jogo versátil, Luciana é boa nos arremessos de longa distância e Franciele traz mais poder no garrafão.

Americana não terá a pivô Sandora, que ainda se recupera de uma tendinite. Seu nome mais forte, além do entrosamento do grupo, é o da pivô Clarissa e da armadora Karla, que assim como as rubro-negras Erika, Adrianinha e Franciele estiveram na seleção brasileira que atuou em Londres.

Esta edição da LBF começa com atraso – era para ter sido iniciada em dezembro de 2012 – por conta da saída da principal patrocinadora, Eletrobrás. Com o problema, a competição sofreu mudança no regulamento: sete equipes se enfrentam em jogos de ida, e o líder se classifica direto para as semifinais. As demais disputam as quartas de final em série melhor de três partidas.

Os ingressos para o duelo estão sendo vendidos a R$ 10 e R$ 5 na bilheteria ao lado do sapotizeiro. O jogo também será transmitido ao vivo no Sportv.

HISTÓRIA
Outro ano em que o Sport investiu mais forte para a disputa do Nacional foi em 1999, quando trouxe a pivô Karina, a armadora Branca e a ala Adriana. A equipe, comandada por Eduardo Cabrera, terminou em 4º.

Em 2005, o Leão voltou às quadras com seu time feminino apostando as fichas na revelação Tayara e outras contratações não tão fortes. O time foi 3º naquele ano, 4º nos dois anos seguintes e 6º em 2008, quando a equipe foi dissolvida e só retornou para esta edição.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias