inocentado

Vitor Belfort não será punido pelo UFC

Brasileiro estava sendo acusado de ter usado anabolizantes na vitória contra o inglês Michael Bisping

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 08/02/2013 às 16:28
Leitura:

O carioca Vitor Belfort não será punido por ter sido flagrado no exame antidoping do UFC São Paulo, que foi disputado no dia 19 de janeiro, no ginásio do Ibirapuera. Na ocasião, o brasileiro nocauteou o inglês Michael Bisping, em luta válida pelos pesos médios (até 84kg). Belfort se safou de uma suspensão pelo uso de anabolizantes porque conseguiu junto à Comissão Atlética de Nevada, nos Estados Unidos, uma liberação para fazer reposição hormonal de testosterona.

O tratamento rende sérias discussões entre lutadores de MMA (artes marciais mistas, sigla em inglês) e especialistas, uma vez que muitos o consideram uma forma legalizada de doping. “Usar algo para melhorar sua performance é doping, mas, se o atleta tiver alguma deficiência e não consegue estar em condições iguais ao outro, é uma condição terapêutica dele”, disse Márcio Tannure, diretor médico da Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA).

Atualmente, diversos lutadores de MMA fazem uso da reposição hormonal – a maioria com mais de 30 anos. Vitor Belfort é o primeiro brasileiro da lista, que conta com nomes como Chael Sonnen, Dan Henderson, Forrest Griffin, Nate Marquardt, Shane Roller e Todd Duffee.

“Nesse sentido, o MMA está na frente dos outros”, elogia o médico, lembrando que o MMA é o único esporte no mundo que permite a reposição hormonal com testosterona. “O princípio básico do esporte é os dois atletas estarem em iguais condições, e (o tratamento) permite isso. Em outras modalidades, parece que o atleta tem prazo de validade – depois dos 30 anos, tem queda normal de hormônios e não consegue mais competir”.

Em outubro de 2006, Vitor Belfort foi flagrado nos exames antidoping após a derrota para Dan Henderson, no Pride. Na época, o lutador alegou que a substância encontrada em sua amostra de urina (4-Hydroxytestosterone) foi injetada por seu médico durante uma cirurgia, e ele não tinha conhecimento do caso. O médico confirmou a história, mas Vitor não escapou da punição.

PUNIDO - No UFC São Paulo, outro brasileiro foi flagrado no antidoping. O catarinense Thiago Tavares caiu por uso de Drostanolona, um esteroide anabólico que foi banido pela Comissão Atlética de Nevada (EUA). Vindo de duas vitórias, Tavares enfrentou o russo Khabib Nurmagomedov pelos pesos leves (até 77kg) e foi derrotado por nocaute. A punição é de nove meses. Após esse período, Thiago terá que realizar um novo teste para constatar que está apto para voltar a competir.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias