esportes

Japão corta apoio ao judô após agressões de técnicos

A ação do comitê japonês acontece após 15 judocas acusarem técnicos da seleção nacional de assédio e violência física durante os treinamentos de preparação para os Jogos Olímpicos de Londres

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 19/03/2013 às 13:59
Leitura:

O Comitê Olímpico Japonês (JOC, na sigla em inglês) anunciou nesta terça-feira (19) a redução do financiamento para a Federação Japonesa de Judô e ordenou a adoção de medidas preventivas para evitar que recentes casos de violência de treinadores com as judocas da seleção nacional voltem a se repetir. 

A JOC disse nesta terça-feira que cancelou o subsídio anual de 250 milhões de ienes (aproximadamente R$ 5,2 milhões) destinado para a federação. O comitê também divulgou uma série de diretrizes, que incluem o banimento de técnicos violentos, mais transparência na definição das equipes e aumento do número de treinadoras. 

A ação do comitê japonês acontece após 15 judocas acusarem técnicos da seleção nacional de assédio e violência física durante os treinamentos de preparação para os Jogos Olímpicos de Londres. Após as acusações, Ryuji Sonoda, treinador da seleção feminina de judô do Japão, renunciou ao seu cargo em janeiro. O Japão é o berço do judô, mas teve desempenho decepcionante na Olimpíada de Londres, no ano passado, ao conquistar apenas uma medalha de ouro. 

Os castigos corporais no esporte estão sob os holofotes no Japão desde o suposto suicídio de um estudante japonês em dezembro, depois de repetidos espancamentos sofridos do seu treinador de basquete.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias