ATLETISMO

Keila Costa quer se superar em 2015

Saltadora pernambucana quer mostrar que está recuperada de lesões e se classificar para os principais campeonatos do ano

Leonardo Vasconcelos
Leonardo Vasconcelos
Publicado em 03/01/2015 às 15:00
Leitura:

O número 15 é dos mais falados nos últimos dias por representar este novo ano que acaba de se iniciar. No entanto, para uma certa atleta pernambucana fazer de 2015 um ano realmente novo é necessário uma fração a menos: 14,25. Este é a marca em metros que Keila Costa precisa ultrapassar no salto triplo para se classificar para os três principais campeonatos do ano: pan-americano, mundial e mundial militar. Em 2014, ano marcado por lesões e dores musculares, seu melhor resultado foi 14,13 metros. Uma diferença de 12 centímetros que pode parecer pequena, mas vai exigir um grande esforço da veterana.

De férias no Recife desde dezembro, Keila não tem descuidado da forma e vem treinando bem cedinho todas as manhãs em uma praça no bairro do Ipsep, Zona Sul do Recife. Não teve descanso nem no Natal e na véspera do réveillon. No entanto, se permitiu abrir a boca um pouco mais por conta das festividades. “Eu comi de tudo, mas sem exagerar, né? Fui provando um pouquinho de cada prato para não ficar na vontade, mas sempre me vigiando, me controlando bastante”, que exibe 62 quilos distribuídos em uma forma invejável. 

A atleta vem gastando bastante energia nos treinos no Recife, mas ao mesmo tempo como costuma falar está “recarregando as baterias”. “Voltar para casa, estar perto da minha família para mim é muito importante. Aproveito quando estou aqui para pegar emprestado um pouco desse energia do povo pernambucano. Quando eu passo aqui nas ruas do bairro para vir treinar o pessoal me reconhece e me dá apoio, diz que é para eu continuar firme. Isso é muito gratificante”, disse, rindo, a atleta que deve voltar a São Paulo no próximo dia 10.

No entanto, a saltadora de 31 anos sabe que a missão dela não é das mais fáceis. Ainda mais vindo de um 2014 cheio de lesões. “Foi um ano bem difícil mesmo. Tive 3 lesões no músculo posterior da coxa e ainda senti um incômodo na tíbia. Isso atrapalhou um pouco minha preparação, tive marcas bem abaixo do que eu esperava. Mas mesmo assim consegui ser campeã sul-americana no salto triplo e em distância, campeã do troféu Brasil em distância e vice no triplo”, afirmou.

Os 14,25 metros é o que Keila precisa, mas ela admite que quer bem mais. “Primeiro eu quero saltar acima dessa marca para garantir minha ida para as três principais competições mais importantes do ano. Mas depois o meu objetivo principal é alcançar mais do que 14,60 metros porque aí eu bateria o recorde brasileiro que é meu mesmo”, disse a atleta, que também é 3º Sargento do Exército, já de olho no índice para as Olimpíadas de 2016. Então, pelo menos neste início de ano, se pode desejar a Keila, sem parecer louco, um feliz 14,25!

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias