VELA

Pequenos velejadores fizeram planos diferentes para o carnaval

Enquanto Tiago Monteiro vai descansar na praia, Mariana vai treinar em Porto Alegre

Leonardo Vasconcelos
Leonardo Vasconcelos
Publicado em 14/02/2015 às 8:00
JC Imagem
Enquanto Tiago Monteiro vai descansar na praia, Mariana vai treinar em Porto Alegre - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Os dois talentos mirins pernambucanos classificados para o Sul-Americano de Optimist, que vai ser realizado, em abril deste ano, no Peru, estão com planos bem diferentes para este carnaval. Enquanto, Tiago Monteiro, de 14 anos, vai descansar em alguma praia e curtir o carnaval com a família, Mariana Hutzler, 13, irá aproveitar o período para ir treinar no Rio Grande do Sul.

“Eu pra Porto Alegre pra treinar especificamente para o Sul-Americano e só volto na quarta-feira. Já é o terceiro carnaval que eu vou para lá treinar”, disse Mariana, garantindo que não sente falta da folia. “Eu gosto do espírito de carnaval, mas eu não gosto de participar. Eu não tenho animação o suficiente para ir brincar. No máximo, fico só olhando e pela TV”, contou a velejadora.

Já Tiago disse que só não vai estar em atividade no Cabanga porque não vai haver treino. “Se tivesse, eu iria vir treinar, mas como não tem, como eles (a equipe técnica) precisam folgar, não venho. Eles também precisam brincar”, disse o garoto, rindo. Tiago, no entanto, não tem os mesmos planos de pular carnaval. Ele vai aproveitar a folga forçada para relaxar na praia. “Devo ir com minha família para alguma. Eu não enjoo de ver o mar não. Depois de 17 dias que fiquei no Rio de Janeiro (competindo no Brasileiro de Optimist), quando cheguei fui para a praia”, disse.

Com a experiência de quem vai para o terceiro Sul-Americano da classe, Tiago procura passar um pouco dela para a colega Mariana. “É um campeonato que é muito diferente dos outros campeonatos, como o Brasileiro. O nível é muito mais alto, as largadas são mais difíceis, Mas espero fazer um bom campeonato, até para valer todo meu treino, todo meu esforço pra chegar lá”, disse. 

Já Marina está só na expectativa para o primeiro Sul-Americano. “Eu não tenho um objetivo, mas espero dar o meu melhor e quero aprender muito nesse campeonato. Sei que o nível dos campeonatos internacionais é muito mais alto que os nacionais. Então, como é o meu primeiro, eu procuro não me cobrar tanto”, afirmou.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias