para-remo

Pernambucano disputa Mundial de Remo Indoor

No Recife, Erik Matheus defende a equipe do Sport e sonha em participar dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 25/02/2015 às 19:45
Gabriela Máxima/Especial para o JC
No Recife, Erik Matheus defende a equipe do Sport e sonha em participar dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016 - FOTO: Gabriela Máxima/Especial para o JC
Leitura:

O pernambucano Erik Matheus Lima viaja nesta quinta-feira para Boston, nos Estados Unidos, onde disputará o Campeonato Mundial de Remo Indoor, no próximo domingo. A competição, conhecida também por CRASH-B, reúne todas as categorias – do júnior, sub-23, sênior até o paralímpico. Erik, por exemplo, defenderá o Brasil na LTA (legs, trunk and arms, que em português significa pernas, troncos e braços do esporte paralímpico). Ele representa o País ao lado de mais dois para-remadores. São eles: Renê Campos, da Associação de Remo de Salvador, e Michel Pessanha, do Flamengo-RJ. 

O trio garantiu a classificação após uma série de testes no remoergômetro – um equipamento que simula os movimentos do remo. De acordo com o técnico da equipe de remo do Sport, Bruno de França, o tempo do pernambucano foi o melhor do País. “Ele fez 3min07seg e a equipe nacional revelou que nenhum remador superou essa marca”, contou.

Erik sempre foi apaixonado pelo remo. Antes de se tornar atleta, ele assistia ao irmão mais velho, Roberto Paulo, competir pelo Leão. Quando completou 15 anos, o clube rubro-negro lançou um projeto social que oferecia aulas de iniciação no esporte para crianças carentes. Foi dessa forma que Erik, morador da Rua Tabaires, atrás da Ilha do Retiro, começou a praticar remo e se destacou entre os colegas. 

No início do ano passado, o treinador Bruno de França constatou o potencial do garoto e tratou de classificá-lo no para-remo, onde ele teria maiores chances de ganhar notoriedade. Dito e feito. De lá para cá, Erik já integrou a seleção brasileira três vezes e inicia 2015 com perspectivas concretas de competir nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

“Meu sonho é conquistar medalhas que me levem para os Jogos. Esse é o meu maior objetivo. Minhas prioridades são o Campeonato Mundial, na França, e os Jogos Paralímpicos de Toronto, no Canadá”, comentou Erik, que, no ano passado, integrou a equipe que faturou o 5º lugar no Mundial da Holanda. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias