F1

Após batida nos treinos desta sexta-feira (10), Massa cobra trabalho intenso da Williams neste sábado (11)

Acidente aconteceu no começo das movimentações e tirou o brasileiro prematuramente da pista em Xangai

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 10/04/2015 às 10:20
AFP
Acidente aconteceu no começo das movimentações e tirou o brasileiro prematuramente da pista em Xangai - FOTO: AFP
Leitura:

O brasileiro Felipe Massa trabalhou menos do que esperava nesta sexta-feira (10) de treinos livres para o Grande Prêmio da China de Fórmula 1. Uma batida no início da segunda atividade do dia, que aconteceu nesta madrugada (horário de Brasília), tirou o paulista de ação prematuramente, o que o fez cobrar um sábado (11) de trabalhos fortes da Williams.

Massa bateu no fim da reta oposta. Ao frear para fazer a tomada da curva, perdeu o controle de seu carro, rodou e foi parar com o bico no muro de proteção. Apesar do impacto não ter sido forte, a Williams não conseguiu fazer os reparos necessários a tempo de mandar o brasileiro à pista novamente.

“Tivemos alguns problemas com a asa traseira. Quando pisei no freio, perdi toda a aderência nos pneus de trás e, como resultado, o carro rodou, o que me tirou do resto do treino. Perdemos muito tempo, mas o time fez mudanças no carro de Valtteri para o mesmo não acontecer com ele. Precisamos de um dia forte amanhã para nos prepararmos para a corrida”, afirmou o brasileiro.

Felipe Massa encerrou o segundo treino livre em Xangai apenas com a 17ª colocação, sem conseguir marcar tempo com os pneus macios, os que propiciam melhor desempenho ao carro. Com a marca de 1min40s423, ficou à frente apenas de Sergio Pérez, da Force India, e Roberto Merhi e Will Stevens, da Manor Marussia. A atividade foi liderada por Lewis Hamilton, com 1min37s219

“Completamos quase todo nosso plano hoje, infelizmente não obtivemos todos os dados que queríamos por causa da rodada de Felipe. Ela foi causada por uma falha na asa traseira, que foi fácil de arrumar. As informações e a resposta dos pilotos sobre as partes novas parecem positivas, mas ainda há trabalho a fazer para ver como estamos em comparação a nossos rivais para o classificatório e a corrida”, analisou o chefe de desempenho, Rob Smedley.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias