Dificuldade

Equipe de tae-kwon-do do Náutico tem sede arrombada duas vezes

Nos dois episódios, foram levando boa parte do material de treino dos atletas

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 01/11/2016 às 10:00
Divulgação
Nos dois episódios, foram levando boa parte do material de treino dos atletas - FOTO: Divulgação
Leitura:

Na reta final de preparação para a Copa Brasil de Tae-kwon-do, entre 25 e 27 deste mês, em Brasília, a equipe do Náutico está quase sem material para treinar. Pela segunda vez, em menos de dois meses, a sede do projeto, localizada em Paulista, foi invadida e teve boa parte dos equipamentos furtados. O prejuízo calculado pelo técnico responsável, Eliel Azevedo, é de aproximadamente R$ 10 mil.

Na primeira vez em que o lugar foi roubado, inclusive, foi levado o kit de protetores de tórax eletrônicos, com valor estimado em R$ 7 mil. No segundo furto, que aconteceu na madrugada do último domingo (30), nem os capacetes, raquetes e almofadas de treino foram poupados. “Quando aconteceu a primeira vez, tivemos ajuda da federação e de alguns amigos para repor minimamente os equipamentos. Mas não conseguimos comprar os protetores de tórax, que são bem caros. Acho que eles (os bandidos) voltaram aqui pensando que já tínhamos conseguido adquirir novos”, lamentou Eliel.

Agora a falta de material para aprimorar a técnica dos sete lutadores pernambucanos que vão à Copa Brasil passa a ser mais uma dificuldade para o grupo. Com as passagens aéreas de todos os atletas compradas, o Clube Náutico Paulista tenta conseguir também recurso para custear a hospedagem e a alimentação dos lutadores. Sem muito apoio para superar as adversidades, a solução encontrada por Eliel foi pedir ajuda nas ruas. “Nos próximos dois sábados, vamos realizar pedágios em frente ao Bom Preço do Janga para ver se conseguimos a quantia necessária para aliviar alguns desses problemas”, contou o treinador dos atletas.

QUALIFICADOS

Dos sete lutadores que vão à Copa Brasil de Tae-kwon-do, três já estão qualificados para participar do Grand Slam da modalidade, marcado para janeiro, em local indefinido. Ester Muniz, Sandro José e João Felipe garantiram vaga na seleção brasileira que vai ao evento por estarem entre os três primeiros do ranking nacional de suas respectivas categorias.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias