carreira

Atletas consagrados decidem encerrar a carreira em 2016

Atletas como Klose, Phelps Rosberg e Isinbayeva colocaram um ponto final da carreira profissional no esporte

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 03/01/2017 às 10:44
AFP
Atletas como Klose, Phelps Rosberg e Isinbayeva colocaram um ponto final da carreira profissional no esporte - FOTO: AFP
Leitura:

O ano de 2017 começa sem a presença de grandes estrelas, que decidiram se aposentar durante ou após a última temporada. Depois de dedicarem boa parte de suas vidas aos treinos e competições, atletas consagrados, como o norte-americano Michael Phelps, da natação, e o alemão Miroslav Klose, maior artilheiro da história das Copas (16 gols) decidiram sair de cena em 2016. 

Boa parte desses desportistas têm em comum a idade com a qual escolheram parar. A maioria está na casa dos 30 anos. Já os momentos em que decidiram deixar as disputas oscilam entre auge, derrocada e por interferência de fatores externos.

HISTÓRIAS

Provavelmente para não ser perseguido pelo favoritismo que acompanha todo campeão mundial, o alemão Nico Rosberg decidiu encerrar precocemente a carreira. Quase uma semana depois de conquistar seu primeiro título na Fórmula 1, o ex-piloto da Mercedes anunciou que não pilotaria mais. “É difícil explicar. Desde que eu comecei, quando tinha seis anos, tinha um sonho muito claro, e esse sonho era ser campeão mundial de F1. Agora, atingi isso. Eu coloquei tudo que tinha nisso durante 25 anos. Foi uma experiência incrível para mim”, explicou Nico em entrevista coletiva antes da cerimônia de premiação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Ele pretende usar o tempo livre para se dedicar à família.

Se Nico Rosberg achou que não tinha mais o que buscar após conquistar seu primeiro título mundial, o que dizer do nadador norte-americano Michael Phelps? Depois de anunciar aposentadoria após os Jogos de Londres-2012, ele retornou à natação na Rio-2016 para se despedir em definitivo com o término do evento. O nadador encerrou a carreira com 28 medalhas olímpicas. Dessas, 23 são douradas. Antes dos Jogos do Rio, ele já colecionava 22 pódios no evento. “Tudo começou com um pequeno sonho de fazer o que ninguém fez. E terminou bem legal. Foi o jeito perfeito de terminar”, avaliou Phelps em coletiva logo após nadar a sua última prova no Rio.

Bicampeã olímpica no salto com vara (em Pequim-2008 e Londres-2012), a russa Yelena Isinbayeva era a grande favorita ao ouro também na Rio-2016. Ela planejava conquistar o terceiro título consecutivo no Brasil e, só então, aposentar-se para se dedicar à família. Isinbayeva, porém, acabou impedida de disputar os Jogos depois que o atletismo russo foi banido do evento por causa do escândalo de doping. Chateada, resolveu parar.

A grande rival da russa na corrida pelo alto do pódio no Rio seria a brasileira Fabiana Murer. A atleta, porém, teve o desempenho comprometido por uma hérnia de disco cervical. A saltadora abandonou o atletismo sem, ao menos, passar à final da prova na Olimpíada - veja matéria abaixo.

Últimas notícias