Cobra Coral

''A armação não é só um jogador'', afirma meia do Santa Cruz

Arthur Rezende foi acionado no segundo tempo de Santa Cruz x ABC no domingo

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 01/05/2018 às 14:32
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Arthur Rezende foi acionado no segundo tempo de Santa Cruz x ABC no domingo - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

O meia Arthur Rezende acredita que a armação das jogadas do Santa Cruz não pode ser responsabilidade apenas do camisa dez. No último jogo contra o ABC, foi o quesito mais questionado e a deficiência admitida pelo técnico Paulo César Gusmão. Ele substituiu Geovani no segundo tempo da partida e pode começar de frente, nesta terça-feira, de novo contra o ABC, em Natal-RN, pela Copa do Nordeste.  

"A armação não é só um jogador. Começa lá na defesa até o ataque. Não é um único atleta que vai armar tudo. É preciso uma interação geral. Não tem como falar que apenas o meia não arma. É preciso um trabalho coletivo", afirmou o meia. 

Arthur não enxerga o empate contra o ABC, fora de casa, no jogo de ida das quartas de final do Nordeste, como um resultado ruim. "Acho que temos que entrar para ganhar o jogo. Se não perdermos, será muito bom trazermos esse resultado para decidir em casa com a nossa torcida", disse Rezende.

PARAÍBA

Quem deve retornar ao Santa Cruz é o volante Carlinhos Paraíba. Ele não enfrentou o ABC, no domingo, por conta de uma virose. A tendência é que o camisa 12 comece de frente e contribua para a criação do meio-campo coral.

"A volta dele é importante. Todo mundo sabe a qualidade. Independente do retorno ou não, o espírito tem que ser o mesmo. Claro que vai ajudar, se tiver apto ao jogo", finalizou Arthur Rezende.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias