luto

Ex-técnico do Santa Cruz, Valdir Espinosa morre aos 72 anos

Valdir Espinosa morreu na manhã desta quinta-feira após complicações de uma cirurgia no intestino

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 27/02/2020 às 10:37
Notícia
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Legado - FOTO: Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

Valdir Espinosa morreu na manhã desta quinta-feira aos 72 anos. Ele, que exercia o cargo de gerente técnico do Botafogo, não resistiu às complicações de uma cirurgia que realizou no intestino e faleceu. Espinosa, que reúne uma longa trajetória no futebol nacional e internacional, pretendia prestar serviços ao esporte até quando sua saúde permitisse. O tempo, para ele, findou nesta quinta-feira.

O ex-técnico comandou a equipe do Santa Cruz, em 2006, numa passagem discreta de pouco mais de um mês, acumulando um empate e cinco derrotas no Campeonato Brasileiro da Série A.

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Valdir Espinosa treinou o Santa Cruz em 2006, na Série A - Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Foto: Bernardo Soares/Acevo JC Imagem
No comando do Santa Cruz, Valdir Espinosa acumulou 1 empate e 5 derrotas - Foto: Bernardo Soares/Acevo JC Imagem
Foto: Beto Figueirôa/Acevo JC Imagem
Valdir Espinosa treinou o Santa Cruz em 2006, na Série A - Foto: Beto Figueirôa/Acevo JC Imagem
Foto: Marcos Michael/Acervo JC Imagem
Valdir Espinosa no comando do Santa Cruz - Foto: Marcos Michael/Acervo JC Imagem
Foto: Marcos Michael/Acervo JC Imagem
Valdir Espinosa e Givanildo Oliveira, em jogo entre Santa Cruz x Atlético-PR no Arruda - Foto: Marcos Michael/Acervo JC Imagem

TRAJETÓRIA

Natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Valdir deixa um legal campeão no futebol brasileiro. Como jogador, iniciou a carreira no Grêmio e reuniu passagens por CSA, Esportivo. Foram oito anos atuando como lateral-direito. Quando decidiu encerrar a trajetória como atleta, ele passou a se dedicar à carreira como treinador.

Um dos pontos mais marcantes aconteceu no Grêmio, em 1983, quando comandou a equipe nos títulos da Libertadores e do Mundial.  Em 1989,  ele foi o responsável por encerrar um jejum de 20 anos sem triunfos no Botafogo no Estadual. Por conta de sua identificação com a equipe carioca, ele permanecia no clube com gerente técnico.

Referência no comando técnico, Valdir Espinosa ainda rodou como treinador de clubes nacionais como o pernambucano Santa Cruz, os cariocas Flamengo, Fluminense, Vitória e internacionais como Cerro Porteño, Al-Hilal, Tokyo Verdy e Las Vegas City.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias