COPA DO BRASIL

Santa Cruz mira premiação milionária na Copa do Brasil

Time tricolor vai encarar o Atlético-GO, quarta-feira (4), às 21h30, no estádio Olímpico, em Goiânia

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 03/03/2020 às 7:52
Notícia
Foto: JC Imagem
Time tricolor vai encarar o Atlético-GO, quarta-feira (4), às 21h30, no estádio Olímpico, em Goiânia - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

Uma partida que pode render o pagamento de quase três folhas salariais do elenco tricolor. O confronto entre Atlético-GO e Santa Cruz, amanhã, às 21h30, no estádio Olímpico, em Goiânia, pela segunda fase da Copa do Brasil, vai garantir ao vencedor a bagatela de R$ 1,5 milhão. Porém, desse montante, em caso de classificação coral, alguns valores serão retidos direto na fonte: 20% para o pagamento de acordos trabalhistas na Justiça do Trabalho (acordo que existe com a 12ª Vara), 5% de direito de Arena, 5% INSS e 6% da FPF-PE. Ou seja, um decréscimo significativo de R$ 540 mil – restando R$ 960 mil.

Ciente da importância do jogo para o futuro financeiro do Santa Cruz, o técnico Itamar Schulle reforça a necessidade de ‘virar a chave’ e focar exclusivamente na Copa do Brasil. “Temos de nos desligar (das outras competições). Sabemos que não tem uma tomada de desligue, mas temos de deixar o Pernambucano de lado e voltar nossas atenções à Copa do Brasil, porque até a bola que vamos jogar é diferente”, comentou Schulle.

Para o confronto diante dos goianos, o comandante tricolor mais uma vez não poderá contar com o artilheiro Pipico, com uma lesão de grau dois na coxa direita. “Mesmo diante das dificuldades, temos de tentar resolver os problemas e projetar a melhor equipe para a partida. O nosso adversário (Atlético-GO) teve um dia a mais que nós para descanso (jogou no sábado, pelo Campeonato Goiano). Então, temos de analisar com cuidado o melhor time. Vamos procurar trabalhar para que possamos atingir mais esse objetivo, que é classificar e passarmos de fase, que será importante para o Santa Cruz”, declarou.

Mesmo o Atlético-GO estando na Primeira Divisão e jogando em casa, Didira não enxerga o adversário com favoritismo à classificação. “Ultimamente, você vê equipes pequenas surpreendendo. Anos atrás, quando um clube pequeno jogava com o grande, você já sabia quem era o favorito. Hoje não se vê mais isso. Até porque a camisa não interfere em nada. São 11 contra 11. Várias equipes mostraram isso... O Afogados contra o Atlético-MG, por exemplo, mostrou superação e vontade. É só um jogo e você tem de dar a sua vida. Fazer o melhor para buscar a classificação porque é importante para o clube e entra dinheiro para o clube. Sabemos que o Atlético-GO é uma equipe de qualidade e que está na Primeira Divisão, mas o Santa Cruz é um clube grande e que já viveu esse momento. Estamos numa crescente e temos de aproveitar, chegar lá e buscar essa classificação”, contou o meia coral.

Além do retorno de Didira, que não enfrentou o Náutico por estar com uma virose, o técnico Itamar Schulle vai contar com a volta de Fabiano. O lateral-esquerdo ficou de fora dos dois últimos jogos (Freipaulistano e Náutico) por conta de uma torção no tornozelo direito, mas já está recuperado e viajou com a delegação tricolor para Goiânia.

CHIQUINHO

Quem pode ganhar mais minutos contra o Atlético-GO é Chiquinho, que estreou com a camisa tricolor no clássico contra o Náutico. “Chiquinho é um jogador que chegou há pouco tempo. Digamos que ele ainda está fazendo um trabalho de ‘inter pré-temporada’. Por isso ele jogou somente 30 minutos, mais os acréscimos... E, hoje, já trabalhou na academia. É um jogador que precisa ser lançado assim, aos poucos. No próximo jogo ele já deve jogar uns 40 minutos ou um tempo inteiro... Ir buscando ritmo nos jogos e nos treinos”, comentou Schulle. “Você consegue utilizá-lo em quatro posições. Na lateral-esquerda, na segunda linha, jogando mais à frente pelo lado esquerdo ou do lado direito... Para trazer para a perna esquerda, e ele também já jogou de meia, no Vitória. Ele pode fazer essas quatro funções, mas, para isso, precisa estar bem fisicamente para conseguir desempenhar o melhor dele”, finalizou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias