Justiça

Em depoimento no STJD sobre "Caso Leomar", Luciano Bivar disse que tudo foi um "mal entendido"

Presidente do Sport prestou depoimento para esclarecer declaração de que pagou comissão para Leomar ser convocado em 2001. Advogado acredita que caso será arquivado

João de Andrade Neto
João de Andrade Neto
Publicado em 19/03/2013 às 19:18
Leitura:

Atualizada às 19h42

O presidente do Sport, Luciano Bivar, prestou depoimento nesta terça-feira (19), em Goiânia (GO) sobre as declarações dadas no último dia 8, de que pagou uma "comissão" para "empurrar" o volante Leomar na seleção brasileira, em 2001. O depoimento, que durou uma hora e sete minutos, foi dado ao auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Miguel Ângelo Cançado, responsável pelo inquérito. Segundo o advogado de Bivar, Oswaldo Sestário, tudo não passou de um "mal entendido".

"Ele prestou um depoimento no STJD perante um auditor. E foi esclarecedor. Houve muita divergência entre o que ele falou e o que foi noticiado na imprensa. Foi tudo um mal-entendido", afirmou Sestário, em entrevista ao Blog do Torcedor. O advogado disse ainda que acredita que o caso será arquivado.

"Agora, eles vão ouvir outros envolvidos na situação e, ao fim dessa rodada de depoimentos, poderão enviar alguma denúncia à procuradoria ou arquivar o caso, que é o que eu espero e acredito que vá acontecer", completou.

JC tentou contato com Luciano Bivar, mas ele deixou telefone celular desligado.

A reportagem também entrou em contato com o auditor Miguel Ângelo Cançado, que avaliou o depoimento como positivo. Ele também adiantou que vai comparar o depoimento dado ontem por Bivar com os áudios das entrevistas concedidas pelo presidente do Sport sobre a denúncia.

"Foi um depoimento esclarecedor. Ele estava aberto e se mostrou franco nas respostas. No momento não vou fazer nenhuma avaliação quanto ao conteúdo porque primeiro quero ter um acesso detalhado a todas as informações. Já tenho boa parte dos áudios das entrevistas dadas por ele e todas as entrevistas nos veículos impressos", afirmou.

Nesta quinta-feira (21), o técnico Emerson Leão e o preparador-técnico Antônio Lopes, que trabalhavam na seleção na época, prestarão depoimento no Rio de Janeiro. Leomar também deve ser chamado.

A intenção do auditor Miguel Cançado é concluir o inquérito até o final da próxima semana.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias