Série A

DS87 fala sobre artilharia, marcas e futuro no Sport

Empatia por Pernambuco e alegria para jogar seriam os motivos do bom momento do jogador

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 14/11/2016 às 9:38
Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Empatia por Pernambuco e alegria para jogar seriam os motivos do bom momento do jogador - FOTO: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Leitura:

Faltando quatro rodadas para o término da Série A do Campeonato Brasileiro, o meia Diego Souza quer continuar fazendo a diferença na competição com a camisa do Sport. Artilheiro na elite do futebol brasileiro, ao lado de Fred do Atlético-MG, com 13 tentos, ele garante que o bom momento é fruto da empatia que sente por Pernambuco e pelo Sport. Outro fator determinante para o desempenho do jogador é o fato de ele sempre procurar entrar em campo para se divertir. "Vou me divertir (nas últimas quatro partidas) como sempre me divirto dentro de campo. Gosto de estar alegre para jogar". 

Confira a entrevista concedida pelo jogador ao departamento de imprensa do clube rubro-negro:

 

 

Artilharia

Eu esperava fazer gols, ajudar da melhor maneira possível dentro de campo. Ser artilheiro não passava pela minha cabeça não. Mas agora que já está bem no fim do campeonato, sou artilheiro junto com o Fred e tenho essa possibilidade de , quem sabe, me tornar o artilheiro do campeonato. Então agora, sim, eu vou procurar caprichar bastante nessas quatro últimas rodadas para, quem sabe, ser o artilheiro do Brasileirão, uma competição tão difícil.

O que o ajudou a fazer tantos gols

Eu jogo mais próximo do gol esse ano. Tenho a responsabilidade de ajudar na armação das jogadas, mas, muitas das vezes, joguei como atacante ao lado de um atacante de mais movimentação. Tudo isso me deu bastante presença de área, uma chegada mais forte próxima do gol, e fez com que eu tivesse mais oportunidades de gol.

"Briga" com Fred

Eu estou tranquilo. As oportunidades vão aparecer. Ele é um centroavante de origem, mas hoje todo mundo tem que participar da marcação, ajudar na criação, porque o futebol ficou muito mais coletivo. Tenho certeza que ele, como centroavente, tem mais as opções de bola de fundo. Eu,como meia, vou continuar jogando da maneira que sempre jogo. Vir atrás buscar o jogo, armar as jogadas, que está dando certo assim. Mas espero ter mais oportunidades nos próximos jogos, concluir bem e fazer os gols.

Recordes pessoais

Eu nunca fui de me ligar nisso. Não sei nem quantos gols eu tenho na minha carreira. Nunca fiz essa conta. Eu estou sabendo dessas coisas por vocês e fico feliz. Sei que o maior artilheiro do Sport numa edição do Brasileiro fez 14 gols porque André no ano passado tinha 13 e queria igualar na última rodada, contra a Ponte Preta. E acabou que ficou nos 13. Então isso eu sabia. Hoje eu estou nos 13 gols, posso igualar ou passar. Mas também não fico me pressionando para que isso aconteça. Vou jogar as partidas, me divertir como sempre me divirto dentro de campo. Gosto de estar alegre para jogar. E espero, quem sabe, ter as oportunidades. Se eu chegar a igualar ou passar essas marcas vai ser gratificante porque vou ter ajudado meus companheiros dentro de campo. Mas, se não acontecer, também não é uma pressão que coloco em cima de mim. Eu quero é vencer, sair logo dessa situação incômoda e aí sim poder passar o final de ano tranquilo com a minha família.

 

 

 

Gols bonitos

Eu gosto é de fazer gol. Acabaram aparecendo algumas jogadas difícieis realmente, eu tentei, fui feliz caprichei e consegui fazer o gol. Mas, graças a Deus, na minha carreira consegui fazer bastante gols, e muitos gols bonitos. E, aqui no Sport, só nesse Campeonato Brasileiro, tem no mínimo uns três ou quatro que são bem bonitos. Mas pra mim é indiferente. De bico ou de voleio, a sensação é maravilhosa. O que vale é a bola entrar e poder comemorar aquele gol.

Futuro no Sport

Eu tenho mais um ano de contrato. Claro que a gente quer sempre melhorar as nossas situações, ter segurança em relação a contrato e poder continuar trabalhando. Mas, fora isso, eu não tenho porque pensar num futuro que não seja aqui no Sport. Eu estou feliz. Vou procurar sempre estar em evidência, pois é bom para mim e para o clube. Então, se eu estou fazendo os gols, acho que estou ajudando da melhor maneira possível. E isso eu faço questão, porque a projeção é de conquistar, de estar brigando na ponta da tabela sempre.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias