Mercado da bola

Marlone não quer ser trocado por Rithely em possível negociação entre Corinthians e Sport

Jogador está no Timão desde o ano passado, mas ainda não embalou no clube

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 14/11/2016 às 10:21
JC Imagem
Jogador está no Timão desde o ano passado, mas ainda não embalou no clube - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Nos bastidores, vetilam informações que o volante do Sport Rithely seria uma das prioridades do Corinthians para a temporada 2017. Segundo o Lance!, um dos caminhos encontrados pelo clube paulista para driblar os altos valores envolvidos na negociação seria oferecer o meia Marlone, que jogou pelo Leão em 2015, em troca. O jogador corintiano, porém, parece não ter ficado muito satisfeito com a possibilidade de "barganha". Por meio do Twitter, a empresa que agencia a sua carreira, a Lift Sports, comunicou que o jogador e seu empresário descartam essa possibilidade.

O Sport detém 50% dos direitos econômicos de Rithely, mas tem contrato firmado até o fim de 2019. A multa recisória não divulgada, porém, seria bem elevada e até fora da realidade nacional. Como alternativa, o Corinthians pode tentar comprar alguma parte da outra metade dos direitos, que pertence a um grupo de investiores. Ou buscar ainda uma composição, envolvendo dinheiro e troca de jogadores. Por esse motivo, Marlone poderia ser a solução.

NO CORINTHIANS

 O meia está no Timão desde o início deste ano. Ele teve 50% dos direitos econômicos comprados por R$ 4 milhões. A grande questão é que Marlone ainda não embalou em São Paulo. Em 34 partidas jogadas, foi titular em apenas 18. Apesar da frequência pequena entre os que começam de frente, ele tem seis gols anotados e quatro assistências. Desde que o técnico Oswaldo de Oliveira chegou ao Corinthians, porém, ele amarga o banco de reservas. 

Apesar do Twitter publicado pela Lift Sports, o Corinthians ainda não formalizou qualquer proposta a Rithely. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias