NOVA ROUPAGEM

Nelsinho Baptista volta ao Sport 'repaginado' com relação a 2008

Treinador garante que os nove anos no Japão mudaram a sua forma de trabalhar

Matheus Cunha
Matheus Cunha
Publicado em 13/12/2017 às 9:04
Guga Matos/JC Imagem
Treinador garante que os nove anos no Japão mudaram a sua forma de trabalhar - Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

Credenciado pelos títulos conquistados pelo próprio Sport há quase dez anos, Nelsinho Baptista acertou nesta terça-feira o seu retorno ao clube da Praça da Bandeira. Chega com contrato válido até dezembro de 2018. O título da Copa do Brasil (conquistado em 2008) e o bicampeonato pernambucano (2008 e 2009) estão na lembrança da torcida rubro-negra. Contudo, os nove anos no Japão deram “outra cara” ao treinador, que chega reformulado na missão de resgatar os bons resultados do Leão nacionalmente.

O último clube de Nelsinho Baptista no Brasil foi justamente o Sport. Saiu no início do Brasileirão de 2009. Ficou de 2010 até 2014 no Kashiwa Reysol, até se transferir para o Vissel Kobe, onde ficou até este ano. Para o técnico, o longo período na Ásia não o impediu de acompanhar o futebol brasileiro. Contou com a ajuda da tecnologia para superar os 17.369km de distância entre os dois países.

“Mesmo longe, a internet proporciona um acompanhamento de perto (do futebol). As televisões brasileiras que estão fora também ajudam. Isso deixa você com uma atualização dentro do futebol brasileiro”, explicou. Em seguida, fez uma breve análise sobre o último Brasileirão. “Tivemos um campeonato bastante emocionante este ano, tanto na disputa dos primeiros lugares como na disputa do rebaixamento. Nós vimos a maneira dos times jogarem e a maneira que eu estou jogando há nove anos no Japão”, analisou.

Nelsinho foi apresentado nesta terça (Foto: Léo Lemos/JC Imagem)

Os anos do outro lado do mundo mudaram o jeito do paulista trabalhar. O futebol com características diferentes e a barreira imposta pela língua japonesa ajudaram, segundo Nelsinho, no seu desenvolvimento como técnico.

“A gente aprende e sempre tem que aprender mais. Essa experiência que eu tive no futebol japonês me deu uma fórmula de trabalho mais dinâmica, mais objetiva. Acabei tendo uma reformulação dentro dos treinamentos, para que o jogador não trabalhe com medo de cansar, mas com vontade de se preparar”, pontuou.

ROSTOS CONHECIDOS

Do atual plantel leonino, apenas o goleiro Magrão e o zagueiro Durval (esse tem contrato encerrado esse ano) trabalharam com o treinador. Daniel Paulista, que também estava em 2008 e 2009, será o seu auxiliar. Mesmo com as mudanças, Baptista garante que conhece outros atletas rubro-negros e afirmou querer contar com o meia Diego Souza para 2018.

“Estou a par do elenco do Sport. Conheço alguns pessoalmente, alguns que são jogadores de nomes. Eu conto com todos. Diego Souza é um jogador acima da média e qualquer treinador gostaria de contar com esse nome no elenco”, completou.

Mesmo tendo o seu nome aprovado por ampla maioria da torcida, Nelsinho Baptista está ciente da missão que terá no clube. Sabe também que o cenário vivido em 2008 mudou, mas as cobranças em cima de títulos de expressão irão continuar.

“Eu estou muito feliz em voltar ao Sport. A minha responsabilidade é muito grande. A torcida espera de mim um resultado positivo. Eu não gosto de prometer nada. Vim para cá para trabalhar, para organizar o Sport dentro de campo. Encontro o clube muito melhor na infraestrutura. Nós lutamos por isso naquela época”, concluiu o rubro-negro.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias