Finanças

Ano de 2018 tem representado problemas financeiros para o Sport

Quebrando uma sequência de salários em dia no início do ano, o Sport ainda está fora da lista de patrocinados da Caixa para 2018

Heitor Nery
Heitor Nery
Publicado em 07/04/2018 às 9:14
Guga Matos/JC Imagem
Quebrando uma sequência de salários em dia no início do ano, o Sport ainda está fora da lista de patrocinados da Caixa para 2018 - FOTO: Guga Matos/JC Imagem
Leitura:

O ano de 2018 tem representado uma série de dificuldades financeiras para o Sport. Após um longo período com pagamentos em dia para os seus atletas, o clube chegou a estar com os salários com seu elenco, algo que só foi regularizado com o recebimento de uma das parcelas referentes a venda de André para o Grêmio. E o cenário financeiro do clube pode sofrer um novo duro golpe. O clube pernambucano não consta na lista inicial divulgada pela assessoria da Caixa Econômica Federal com os clubes de futebol que serão patrocinados pelo banco estatal em 2018.

Ao todo, 15 clubes já acertaram com o banco federal, sejam eles das Séries A ou B do Campeonato Brasileiro. Entre os da Série A, estão América-MG, Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia, Ceará e Flamengo. O restante (Avaí, Criciúma, Fortaleza, Goiás, Londrina, Paraná, Paysandu, Ponte Preta e Sampaio Corrêa) é da Segunda Divisão nacional.

O Sport possui o patrocínio da Caixa desde 2014. O último contrato com o Leão foi assinado em 2017 e tinha validade de um ano, até dezembro do ano passado. O valor inicial, sem contar o bônus de títulos, era de R$ 6 milhões anuais.

Valores negociados com outros clubes

O banco não revelou valores dos seus patrocinados, mas em pesquisa no Diário Oficial da União, a reportagem do Jornal do Commercio conseguiu obter os valores de alguns clubes que já tiveram o acordo confirmado. O Sampaio Corrêa, por exemplo, vai receber R$ 1,5 milhão. O Bahia vai ganhar R$ 9,5 milhões e o Atlético-MG vai receber R$ 13,1 milhões.

O fato de o Sport não constar na lista não significa que os rubro-negros não vão ganhar o patrocínio. Procurada pela reportagem, a diretora executiva de marketing do clube, Melina Amorim, confirmou que ainda há negociações em andamento. Contudo, não aparecer na lista inicial é um indício negativo para os leoninos, que seguem sem receber valores de patrocínio neste começo de temporada.

Apesar da falta de parceria, o Leão continua com a marca do banco público nas camisas durante os jogos deste ano.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias