SONHO

'Saí de casa com 10 anos para tentar realizar sonho', diz centroavante

Carlos Henrique relembra quando deixou a família para trás em busca do sonho de ser jogador de futebol

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 21/05/2018 às 21:44
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Carlos Henrique relembra quando deixou a família para trás em busca do sonho de ser jogador de futebol - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Nascido na cidade de Sorriso-MT, que possui menos de 100 mil habitantes, Carlos Henrique desde cedo foi em busca de seu sonho: se tornar jogador de futebol. Aos 10 anos, deixou para trás a sua família e partiu sozinho rumo a Porto Alegre tentar a sorte no Grêmio.

"O começo é sempre muito difícil. Saí de casa ainda criança, com apenas 10 anos. Deixei mãe, pai e irmãos para tentar realizar o meu sonho. No início, a minha mãe não queria que eu fosse (para Porto Alegre). Achava que eu era muito novo para fazer uma loucura dessas. Só depois que ela foi entendendo e se acostumando a ficar longe de mim. Graças a Deus eu alcancei o meu objetivo e todos estão felizes", comentou.

Com passagens por Juventude, Internacional, Veranópolis, Figueirense, PSTC, Luverdense e Londrina, o centroavante de 23 anos tinha um outro objetivo em 2018. "Tinha colocado como meta para esse ano disputar uma Série A. Então, passei o início do ano pensando nisso. Quando o Sport veio atrás de mim, não pensei duas
vezes. Tinha esse sonho e mais uma vez estou realizando. Por isso, sempre procuro dar o meu máximo nos treinos e nos jogos", falou.

Nos quatro jogos que foi acionado (Paraná, Bahia, Cruzeiro e Corinthians), Carlos Henrique deixou uma boa impressão. "Eu já vinha entrando bem. Contra o Cruzeiro, eu fiz uma boa partida. Isso foi me dando confiança e diante do Corinthians não foi diferente. Como estávamos atrás do placar, entrei no intuito de fazer um grande jogo e com o pensamento de fazer o gol para ajudar a nossa equipe. Graças a Deus eu consegui”, comemorou o jogador, mas que tem consciência de que ainda precisa melhorar. "Ainda preciso de ritmo de jogo. Vou conseguir render mais quando estiver 100%".

ELENCO FORTE

Animado com o bom início do Sport no Brasileirão, o centroavante rubro-negro valoriza a chegada de atletas renomados ao clube. "Jogadores como Rafael Marques, Michel Bastos, o próprio Magrão... Temos de respeitar a história deles no futebol. O nosso grupo está qualificado e cada vez mais forte. Sabemos que temos condições de alcançar o topo e brigar por objetivos maiores. Quem sabe entra na Libertadores", desejou Carlos Henrique.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias