CABEÇA DE ÁREA

Com Deivid em baixa, Eduardo Baptista terá de reavaliar a cabeça de área do Sport

Time rubro-negro ainda não encontrou um substituto de Anselmo

JC Online
JC Online
Publicado em 19/08/2018 às 11:02
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Time rubro-negro ainda não encontrou um substituto de Anselmo - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Leitura:

As carências do Sport no Brasileirão são enormes, mas a cabeça de área há algumas rodadas tem provocado calafrios nos rubro-negros. Desde a saída de Anselmo, que se transferiu para o Al Wheda, da Arábia Saudita, em junho, o time leonino segue sem ter um verdadeiro "cão de guarda" para proteger a zaga.

O escolhido para substituir o antigo capitão do Sport foi o pequenino Deivid (1,72 metro), que está longe de se impor pela força física e tenta compensar com a agilidade na hora de tentar roubar a bola do adversário. Porém, não tem obtido muito êxito. E, o que é pior tem pecado na saída de bola. Assim como aconteceu no final do primeiro tempo do Santos e quase originou o gol de Gabriel Barbosa.

O técnico Eduardo Baptista, apesar de substituí-lo no intervalo, protegeu o volante. "Tem dia que nada anda tecnicamente. Deivid lutou, teve boa movimentação, mas ele errou uns dois, três passes e acabou perdendo a confiança", explicou o comandante rubro-negro, que acionou Fellipe Bastos no segundo tempo, mas não conseguiu melhorar o rendimento do time.

Atualmente, o elenco do Sport conta apenas com cinco volantes: Fellipe Bastos, Deivid, Ferreira, Neto Moura e Nonoca. Desses, apenas o último não recebeu nenhuma oportunidade para jogar. A diretoria rubro-negro tentou a contratação do colombiano Elkin Blanco, mas ele acabou sendo reprovado nas avaliações médicas. Já Alan Schons, do Moreirense, de Portugal, tinha tudo encaminhado com o Sport, mas o negócio não andou por conta de algumas exigências financeiras feitas pelo jogador e pelo seu empresário.

NO ATAQUE

Outro que foi utilizado pelo treinador na etapa complementar foi o atacante Morato, que tentou fazer uma fumaça na zaga santista, acertou dois chutes perigosos, obrigando o goleiro Vanderlei a trabalhar e acabou deixando uma boa impressão para Eduardo Baptista.

"Ainda não tinha trabalhado com o Morato, mas o conhecia do Ituano, onde foi bem. Tanto que foi contratado pelo São Paulo. Ele entrou bem na partida, é um jogador agudo, veloz, que tem o drible a seu favor e tenho certeza que vai nos ajudar muito na sequência do campeonato", analisou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias