Série A

Técnico fala em evolução no meio de campo do Sport

Eduardo Baptista ressaltou estreias contra o Cruzeiro

Diego Toscano
Diego Toscano
Publicado em 10/09/2018 às 7:14
Diego Nigro/JC Imagem
Eduardo Baptista ressaltou estreias contra o Cruzeiro - Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

As vitórias ainda não chegaram em sequência e o time continua afundado na zona de rebaixamento. Mas o técnico Eduardo Baptista começa a olhar o “copo meio cheio” no Sport. Para o treinador, o Leão vem em evolução sob seu comando na Série A. Principalmente no setor de meio de campo, uma das preocupações do técnico ao assumir a equipe. Eduardo também celebrou a volta da torcida, que aplaudiu os jogadores mesmo após o empate contra o Cruzeiro, no último sábado, na Ilha.

“Quando cheguei tínhamos uma preocupação com volantes. Que bom que Neto (Moura) está respondendo. Marcão e Jair precisavam jogar. Feliz porque estamos criando opções. Neto veio de um jogo forte em Salvador e sentiu um pouco o físico (contra o Cruzeiro), mas tentou jogar. O Cruzeiro, melhor fisicamente, bloqueou nossas jogadas. Jair deu uma nova cara (no segundo tempo). Meu objetivo não é só achar a dupla (de volantes), mas os 11 titulares. Criar um grupo. Marcão deu uma segurança. Boas dúvidas e vamos escolher os melhores para pegar o Corinthians”, afirmou o treinador.

Contra o Cruzeiro, mais duas peças tiveram sua primeira chance na cabeça de área: Marcão, que veio do Cuiabá, e Jair, que estava no Juventude. “É complicado estrear logo dois no meio de campo. Tínhamos receio da falta de entrosamento. Mas parecia que jogavam juntos há muito tempo. Muito boas as estreias. O perfil do Marcão é de mais pegada e imposição, o que estávamos precisando. Já Jair deu um toque de qualidade ao time”, explicou Eduardo. Hoje, o Sport tem oito volantes à disposição. Além de Neto Moura, Marcão e Jair, Fellipe Bastos, Adenílson, Nonoca, Deivid e Ferreira completam a lista.

CONFIANÇA

Apesar de lamentar os pontos perdidos em casa com o Cruzeiro, o técnico Eduardo Baptista celebrou a evolução da equipe, evidenciada pelo apoio da torcida ao final da partida, mesmo sem a vitória.

“Mais do que vitória, precisávamos reconquistar a confiança do torcedor. Ficamos felizes com os aplausos. Empate com o Cruzeiro, seja time misto ou titular, é normal. Mesmo não sendo o resultado que queríamos, resgatamos a esperança de que temos uma equipe aguerrida e que pode sair dessa situação. E a torcida é preponderante para esse retorno. Mantivemos a concentração nos dois tempos e crescemos no segundo. Temos conversado sobre essa evolução e estamos vendo ela em campo”, finalizou.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias