EFEITO MILTON

Milton Mendes alia trabalho de campo e emocional para evitar o Sport da queda

Técnico rubro-negro está conseguindo recuperar a auto-estima do elenco

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 09/10/2018 às 8:02
Foto: Léo Motta/ JC Imagem
Técnico rubro-negro está conseguindo recuperar a auto-estima do elenco - FOTO: Foto: Léo Motta/ JC Imagem
Leitura:

Contratado com a responsabilidade de ser o “antibiótico” para curar a crise que o Sport atravessa dentro de campo, os efeitos da chegada de Milton Mendes à Ilha do Retiro já podem ser observados na prática. Apesar de estar no cargo há apenas 13 dias, o técnico vem conseguindo trabalhar de maneira bastante habilidosa o emocional do elenco leonino, fazendo com que os jogadores acreditem novamente na capacidade coletiva e individual de cada um. Contra o vice-líder Internacional, por exemplo, na última sexta, os rubro-negros não demonstraram apatia ao saírem atrás do placar e ainda tiveram força para virar o jogo e assegurar a vitória por 2x1 diante do vice-líder do Campeonato Brasileiro.

“Os jogadores precisam estar tranquilos para renderem taticamente. Fazer aquilo que o treinador pede. Mas além do psicológico, também tem a parte tática, técnica, a individualidade do jogador, a tomada de decisão. Quando o grupo está seguro, a tomada de decisão é mais tranquila”, explicou Milton Mendes.

Uma das estratégias para ganhar o grupo logo de cara foi promover o retorno dos Bastos (Michel e Felipe) - algo que os atletas já tinham solicitado e que a antiga diretoria não havia acatado. Porém, nem só de motivação consiste o trabalho de Milton Mendes. Muito pelo contrário. A sua atuação no campo é reconhecidamente como a mais eficaz. Tanto que a sua escolha de posicionar Michel Bastos como falso 9 foi cirúrgica e surtiu efeito nos dois primeiros jogos no comando do Sport: contra o Atlético-MG, ele fez um gol na goleada sofrida por 5x2, no Independência; e diante do Internacional, deu o passe para o gol da vitória, anotado por Mateus Gonçalves.

“Acredito que tivemos um posicionamento que considero bom contra o Inter. Tivemos menos erros e, consequentemente, tomamos menos gols. Também tivemos mais acertos e marcamos mais gols. Tudo está direcionado ao emocional. Temos de estar preparados para as tomadas de decisão e fazer as coisas acontecerem”, falou.

RETA FINAL

Nas dez rodadas restantes, o Leão tem cinco confrontos fora de casa e cinco na Ilha do Retiro, sendo três confrontos diretos na luta contra o rebaixamento (Vasco, Ceará e Vitória). O Sport ainda recebe o Flamengo e o Santos. Fora de casa, o Leão vai encarar o Atlético-PR, no próximo domingo, Grêmio, Fluminense, Chapecoense e São Paulo. O rubro-negro soma 27 pontos, três a menos do que o Ceará, que abre a zona de rebaixamento - o Vozão tem um jogo a menos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias