Samba no pé

Gigante do Samba completa 75 anos em busca do 10º título seguido

A agremiação da Bomba do Hemetério promete um desfile como jamais visto para comemorar as Bodas de Brilhantes, contando a história da escola

JC Online
JC Online
Publicado em 17/02/2017 às 7:33
Foto: Bobby Fabisak
FOTO: Foto: Bobby Fabisak
Leitura:

Mesmo completando 75 anos no próximo dia 16 de março, quando os integrantes da Gigante do Samba entrarem na Avenida Nossa Senhora do Carmo na madrugada da Terça Gorda em busca do 10º título seguido, será como se fosse a primeira vez. Com o tema “Voei, voei, em Gigante aportei, onde me deram a coroa de rei”, a escola de samba da Bomba do Hemetério, Zona Norte da capital, promete trazer um desfile jamais visto para o Centro do Recife. 

Trazendo cinco alegorias e 21 alas, reunindo cerca de 2 mil integrantes, o carnavalesco André Paiva planejou uma viagem da águia-real, símbolo da escola. “A águia vai fazer voos nos impérios mais antigos do mundo e vai aportar aqui na Gigante, para ser coroada”, explica Rivaldo Lacerda, presidente da agremiação há 9 anos. Luiz Mário Bezerra, secretário da escola, explica que o carnaval para eles começa muito antes de fevereiro. “Para nós, o carnaval começa em maio com o lançamento do enredo do ano seguinte. Em agosto, começamos a montagem das fantasias e alegorias, para em fevereiro já estar tudo pronto”, declarou. 

Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak
Foto: Bobby Fabisak
- Foto: Bobby Fabisak

Odília dos Santos, 88 anos, é uma das integrantes mais antigas da agremiação. Mais conhecida como Dona Odila, que além de sair no desfile há mais de 70 anos também ajuda na confecção das alegorias e das fantasias, fala com orgulho do amor que sente pela Gigante. “Eu me sinto maravilhosa. Com a minha idade, fazer o que eu faço, me admiro ao ver meu trabalho todo pronto no dia do desfile.”, conta. Ao ser perguntada sobre o samba no pé, Dona Odila é enfática. “Eu não sou amostrada não, mas na hora do samba, eu mostro meu talento”. Com as fantasias quase todas finalizadas e faltando poucos dias para o grande dia, a expectativa entre os integrantes, 90% deles sendo das comunidades próximas à quadra da escola, é cada dia maior. 

Desfile será de madrugada

O desfile está marcado para as 3h30 da madrugada da terça-feira, dia 28 de fevereiro. Na hora de entrar na avenida, os quase dois mil corações se unem em um só. Um grande coração verde e branco que vai entoar o refrão: “Eu sou águia e tenho sorte, sou verde e branco, sou Gigante até a morte”. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias