polêmica

Com proibição de véu muçulmano, Arábia Saudita pode deixar Olimpíada

A atleta Wujdan Ali Seraj Abdulrahi Shahrkhani, do judô, foi impedida de utilizar a vestimenta durante as disputas

Da Gazeta Press
Da Gazeta Press
Publicado em 27/07/2012 às 15:32
Leitura:

Após a Federação Internacional de Judô  (IJF, em inglês) definir, na última quinta-feira (26/7), que a atleta Wujdan Ali Seraj Abdulrahi Shahrkhani não poderá usar o véu islâmico nos Jogos Olímpicos de Londres, a Arábia Saudita ameaça deixar a competição em território britânico. Disputando a categoria acima de 78kg, Shahrkhani tem estreia programada para a próxima sexta-feira, contra a portorriquenha Melissa Mojica.

A notícia do possível abandono saudita não foi bem recebida por membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), que se reunirão com o comitê olímpico do país do Oriente Médio, com a entidade máxima do judô mundial e com os organizadores do evento na capital inglesa.

"Já ouvimos falar que os saudistas não estão felizes. Teremos uma reunião urgente, com certeza, nos próximos dias", afirmou um porta-voz do COI em entrevista ao jornal inglês The Telegraph.

Nos últimos meses, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, intensificou as negociações para a Arábia Saudita enviar mulheres a Londres. Apesar das preocupações iniciais da família real saudita, o país liberou, pela primeira vez em sua história, a participação de atletas do sexo feminino, sendo representado por Shaherkani e Sarah Attar, que disputa os 800 metros no atletismo.

No entanto, após o presidente da IJF, Marius Vizer, dizer que a proibição do hijab, como é conhecido o véu, foi realizada de acordo “com os princípios e espírito do judô”, os dirigentes saudistas voltaram a afirmar que as mulheres de seu país só poderão competir nos Jogos Olímpicos de Londres se utilizarem o traje muçulmano apropriado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias