judô

Sarah Menezes é esperança de ouro para o judô brasileiro

Ela vai encarar a convidada vietnamita Ngoc Tu Van, neste sábado

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 27/07/2012 às 19:52
Leitura:

A judoca brasileira Sarah Menezes, de 22 anos, terceira colocada do ranking mundial da categoria até 48kg, fará sua estreia nos Jogos Olímpicos neste sábado (28/7). A jovem piauiense disputa sua segunda Olimpíada, após ter lutado em Pequim-2008, com apenas 18 anos. Na ocasião, Sarah perdeu na primeira rodada para a húngara Eva Csernoviczki. Desta vez, chega na condição de uma das principais favoritas ao ouro.

É que, desde 2008, ela acumulou ótimos resultados, como o título no Grand Slam de Moscou, em maio deste ano, e o bronze no Mundial de Paris, no ano passado. Com mais experiência, a judoca acredita nas suas chances de, ao menos, subir ao pódio para conquistar o que pode ser a primeira medalha do Brasil nestas Olimpíadas.

“Minha expectativa é muito boa. Chego em ótima forma e já passei por essa adrenalina toda de conhecer a Vila Olímpica. Esta experiência pode me ajudar”, disse Sarah. Apesar de ser terceira colocada no ranking mundial, ela deu azar no sorteio, pois entrará na competição na primeira rodada, enquanto outras com menor índice vão estrear diretamente na fase seguinte.

Sua primeira adversária será uma judoca do Vietnã, Ngoc Tu Van, de 24 anos. Classificada por convite dos organizadores na cota continental da Ásia, ela conquistou a medalha de bronze no Campeonato Asiático de 2011.

Se vencer esta luta, Sarah enfrentará a francesa Laeticia Payet, 26 anos, 11ª colocada do ranking mundial, poupada da primeira rodada no sorteio. Mesmo tendo que fazer uma luta a mais, a brasileira teve a sorte de ficar longe da chave da japonesa Tomoko Fukumi, número 1 do ranking, para quem perdeu as quatro lutas que disputou. O quinto confronto só poderá acontecer em um possível final olímpica.

Natural de Teresina, Sarah conta com toda a torcida do Estado onde nasceu e continua treinando. “No Piauí, todo mundo sempre me apoiou, tanto quando chegava com medalha quanto depois das derrotas”, afirmou.
Sarah também terá o apoio de toda a equipe feminina. “Somos muito unidas. A seleção brasileira é a nossa segunda família. Cada uma ajuda a outra e isso faz crescer o judô brasileiro”, relatou.

Pela primeira vez na sua história, o judô nacional terá um representante em cada uma das 14 categorias (sete no masculino e sete no feminino). Ainda hoje, acontece a estreia do paulista Felipe Kitadai, também de 22 anos, 11º colocado do ranking masculino da categoria até 60kg, que enfrentará na primeira rodada Tumurkhuleg Davaadorj, da Mongólia, número nove do mundo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias