londres-2012

Sábado promete muitas medalhas para o Brasil em Londres

Protagonista mais uma vez deve ser o nadador Daniel Dias

Eduardo Donida
Eduardo Donida
Publicado em 07/09/2012 às 19:29
Leitura:

Carlyle Paes Barreto
Enviado Especial

Com duas derrotas nos esportes coletivos e apenas uma medalha de ouro ganha, nesta sexta (07/9), o Brasil não conseguiu retomar a sétima colocação da Alemanha, no quadro geral de medalhas dos Jogos Paralímpicos de Londres. O que pode ocorrer hoje. E mais uma vez com o nadador Daniel Dias como protagonista.

O Brasil está com 15 ouros, dois a menos que a Alemanha. A China lidera com 205 medalhas, sendo 82 douradas, seguida por Grã-Bretanha, Rússia e Ucrânia, que travam duelo acirrado pelo vice-campeonato.

Com a vitória nos 50m borboleta, na sexta, Daniel Dias passou a ser o brasileiro com maior número de medalhas paralímpicas. São agora 14, contra 13 do nadador Clodoaldo Silva e da ex-corredora Ádria Santos. Daniel também possui o recorde em ouros. São nove. E ele pode aumentar esta marca ainda em Londres. Vai nadar neste sábado (08/9) os 100m livre e o revezamento 4x100m medley, com grande chances de pódios. Nas duas. Daniel nada na classe S5, a de grave deficiência motora. O nadador, detentor de dez recordes mundiais, nasceu com má formação, sem parte das duas pernas e de um dos braços. No outro, só possui um dedo.
Da natação, ontem, também veio o bronze de Joana Silva, nos 50m borboleta.

No golbol, o Brasil caiu diante da Finlândia, sendo goleado por 8x1 na decisão. A prata, no entanto, foi comemorada no esporte exclusivo do paradesporto. Os brasileiros vieram a Londres planejando chegar nas semifinais. Na modalidade são três jogadores de cada lado, tentando marcar gols atirando uma bola pesada de um lado da quadra até a meta adversária.

A bocha também garantiu mais dois pódios. E com chance de outros dois, hoje, com Eliseu Santos lutando pelo bronze na classe C4, onde Dirceu Pinto disputará o ouro. Na C2, Maciel Souza também está na grande final. E José Carlos Chagas disputará o bronze na C1.

Já no atletismo, apenas uma prata, com Lucas Prado, nos 400m (T12, para cegos). Na T44, em mais um duelo contra Oscar Pistorius, o paraense Alan Fonteles se classificou com o quinto melhor tempo para a grande final de sábado à tarde. o sul-africano teve o melhor desempenho da semifinal.

E no futebol de sete, para paralisados cerebrais, o Brasil perdeu a invencibilidade, na Arena Riverbank, com a derrota por 3x1 para a Rússia, que fará a final com a Ucrânia. Os brasileiros disputarão o bronze com o Irã, no domingo.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias