voo 447

Caixas-pretas de avião da Air France devem ser abertas nesta quinta

Só para limpar e secar os equipamentos serão necessários dois dias. Só então os técnicos poderão tentar extrair os dados contidos nos cartões de memória das caixas-pretas, o que pode, na melhor das hipóteses, ocorrer até domingo

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 12/05/2011 às 14:11
Foto: PRF / Divulgação
FOTO: Foto: PRF / Divulgação
Leitura:

BRASÍLIA - Após quase dois anos submersas, as duas caixas-pretas do Airbus A330 usado no voo 447 da Air France serão abertas na tarde de hoje (12), na França. Com isso, os técnicos franceses que apuram as causas do acidente enfim vão saber se os dados contidos nos equipamentos podem ser analisados, ajudando a esclarecer as causas do acidente. A avaliação, no entanto, deve demorar no mínimo três dias.

Segundo a BBC Brasil, a informação foi transmitida por Jean-Paul Troadec, diretor do Escritório de Investigações e Análises (BEA, na sigla em francês), órgão responsável por apurar as causas do acidente que matou 228 pessoas.

As duas caixas-pretas chegaram quinta (12) de manhã a Paris e foram apresentadas à imprensa. Consideradas essenciais à investigação das causas da catástrofe que, em 31 de maio de 2009, matou 228 pessoas, elas serão abertas na sede do BEA, em Le Bourget, nos arredores de Paris, na presença de um oficial da Polícia Judiciária.

De acordo com Troadec, só para limpar e secar os equipamentos serão necessários dois dias. Só então os técnicos poderão tentar extrair os dados contidos nos cartões de memória das caixas-pretas, o que pode, na melhor das hipóteses, ocorrer até domingo (15).

Caso os microchips internos que contêm os parâmetros técnicos do voo e as conversas dos pilotos ou qualquer outro som emitido na cabine não tenham sofrido corrosão ou outro tipo de dano, a expectativa é que as gravações sejam extraídas em quatro dias. Já se os microchips tiverem sofrido qualquer dano, a restauração do conjunto de dados poderá levar semanas.

A expectativa do BEA é que, obtidos os dados e iniciada a análise, os investigadores consigam traçar rapidamente um panorama preliminar dos motivos da queda do avião. Já o estudo mais detalhado dos dados das caixas-pretas e também de outras peças do avião já resgatadas levará meses.

Todo o processo de abertura e transcrição das caixas-pretas será filmado. Conforme as autoridades francesas já haviam divulgado, os trabalhos serão acompanhadas por técnicos brasileiros, americanos e britânicos. O BEA prevê divulgar um novo relatório, o último, sobre o acidente com o voo AF 447 no final deste ano ou no início de 2012.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias