saúde

Sindicato do Ceará entra com Adin contra Mais Médicos

Nesta segunda-feira, 70 cubanos começam treinamento em Fortaleza para o programa Mais Médicos

Ulysses Gadêlha
Ulysses Gadêlha
Publicado em 26/08/2013 às 15:14
Leitura:

O Sindicato dos Médicos do Ceará (Simce) entra nesta segunda-feira (26) com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o Mais Médicos. A informação é do presidente do Simce, José Maria Pontes. "Não somos contra a vinda de médicos cubanos a Fortaleza, mas esses médicos são da Escola Latino-Americana de Medicina e são proibidos de exercer a profissão em Cuba. então, porque eles podem exercer suas funções no Brasil?", questiona Pontes.

Nesta segunda-feira, 70 cubanos começam treinamento em Fortaleza para o programa Mais Médicos. O treinamento será de três semanas e eles serão avaliados por professores da Universidade Federal do Ceará e Escola de Saúde Pública do Ceará. Eles chegaram na tarde de domingo (25) direto de Havana. São 60% de médicas e 40% de médicos. Cada um deles tem curso de Medicina de seis anos e mais três anos de especialização. 

"Mais de 700 municípios ficaram sem médicos na primeira etapa do Mais Médicos e vamos preencher com estes médicos cubanos, portugueses, argentinos e espanhóis", disse o secretário nacional de gestão estratégica e participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, presente no domingo à recepção aos médicos cubanos que chegaram portando bandeiras de Cuba e do Brasil.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias