Itaquerão

Clima de desânimo após missa no Itaquerão

Cerca de 1,3 mil operários retornaram ao trabalho nesta segunda-feira

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 02/12/2013 às 19:15
Foto: Marcelo Camargo/ ABr
Cerca de 1,3 mil operários retornaram ao trabalho nesta segunda-feira - FOTO: Foto: Marcelo Camargo/ ABr
Leitura:

Cerca de 1,3 mil operários retomaram nesta segunda-feira (2) os trabalhos de construção do futuro estádio do Corinthians após a missa celebrada pelo padre Rosalvino Moran Viñayo. Em entrevista ao Estado, o religioso disse ter sentido no canteiro de obras um clima triste e de muito desânimo no primeiro dia de tarefas depois do acidente na última quarta-feira, quando a queda de um guindaste causou a morte de dois operários.

"Só o tempo vai amenizar a tristeza que os operários estão sentido. É algo muito dolorido, pois eles perderam o amigo", disse o padre, escolhido pelo clube para celebrar a missa por já atuar no bairro de Itaquera. "Foi uma fatalidade enorme, mas todos vão se recuperar. Senti todos eles com muita coragem de retomar os serviços depois da missa", contou.

A celebração religiosa durou cerca de meia hora. Em seguida, os operários concentraram as atividades nas instalações elétricas e de ar condicionado dos camarotes. Os trabalhos na parte estrutural estão parados até pela interdição na área do prédio leste, onde houve o acidente. "Frisei bastante para os operários que eles precisam ter bom humor para recuperar as perdas. Fé, união e amor são os atributos mais importantes", explicou o padre.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias