Rebelião

Presos libertam 3º refém, mas mantêm motim no Paraná

Rebelião começou na manhã da segunda-feira e é liderada por grupo de 40 presidiários

Danilo Galindo
Danilo Galindo
Publicado em 15/10/2014 às 8:44
Foto: TV CULTURA / AFP
Rebelião começou na manhã da segunda-feira e é liderada por grupo de 40 presidiários - FOTO: Foto: TV CULTURA / AFP
Leitura:

Presos rebelados na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG) no Paraná, haviam liberado três agentes penitenciários feitos reféns, até o início da noite de terça-feira, 14. Outros dez funcionários ainda estavam em poder dos presidiários.

A rebelião começou na manhã de segunda-feira. Um grupo de seis presos, todos cumprindo penas por crimes sexuais, também está sob a ameaça dos 40 presidiários que lideram o motim. 

Durante a tarde, uma equipe da PM, que lidera as negociações, tentou chegar a um acordo com os presos, mas, até as 19 horas, as negociações não haviam avançado. Onze presos foram retirados da cadeia por motivo de segurança e dois, jogados do telhado no primeiro dia da rebelião, mas ambos se recuperam e não correm risco de morte.

Segundo a polícia, os rebelados reivindicam melhorias internas na unidade e reclamam de maus-tratos por parte da administração, além de pedirem progressão de pena para os presos com direito a transferências para outras carceragens no Paraná e em Santa Catarina.

No início da rebelião, um dos agentes foi queimado com cola e outros materiais inflamáveis e teve 40% do corpo ferido. Ele precisou ser encaminhado para um hospital próximo e não corria risco de morte.

Os presos têm feito rodízios e cada um dos agentes fica um período no telhado amarrado a um para-raios, sob a ameaça de ser jogado, caso a polícia decida invadir o local. Essa é a primeira rebelião ocorrida na PIG desde sua fundação, há 15 anos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias