RIO-2016

Policiais são presos no Rio suspeitos de sequestrar lutador da Nova Zelândia

Os acusados são policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 26/07/2016 às 17:12
Foto: Reprodução/Facebook
Os acusados são policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

A Polícia Militar (PM) prendeu administrativamente dois policiais suspeitos de sequestrar o lutador de jiu-jítsu Jason Lee, da Nova Zelândia. A vítima relatou que dois policiais fardados o abordaram, no último sábado (23) e o obrigaram a entrar em um carro e acompanhá-los a dois caixas eletrônicos para retirar uma quantia de dinheiro. O lutador disse foi ameaçado de prisão caso não entrasse no carro. Ele não informou o valor da quantia.

 

Os acusados são policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE). Por meio de nota, a PM informou que "o fato está sendo apurado rigorosamente". "Sendo comprovado, os policiais serão submetidos a processo administrativo disciplinar que julgará a expulsão dos mesmos da corporação. Os agentes estão presos administrativamente à disposição da Corregedoria Interna da Corporação. A Polícia Militar não tolera desvios de conduta e atos como esse entristecem os quase 50 mil policiais militares honestos que combatem o crime diariamente", divulgou a corporação em nota.

O sequestro está sendo investigado pela Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat). Segundo a Polícia Civil, o lutador voltava de carro de uma competição quando foi parado pelos policiais, no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Em seu perfil no Facebook, Lee disse: "Não sei o que é mais deprimente, o fato de isso acontecer com estrangeiros tão perto dos Jogos Olímpicos ou o fato de que os brasileiros têm que viver em uma sociedade que permite esse tipo de coisa diariamente". Nesta segunda-feira, 25, ele escreveu: "Estamos seguros. Obrigado pelas mensagens de todos do exterior e daqui. Vou responder a todos quando tiver tempo. Obrigado pelo apoio".

Últimas notícias