INTERNET

Foto de garota negra sobre representatividade é alvo de racismo na web

A menina segura uma placa na frente de um mostruário de bolsas da Barbie com os dizeres: "Não me vejo, não compro"

JC Online
JC Online
Publicado em 28/10/2016 às 16:05
Foto: Reprodução/ Facebook
A menina segura uma placa na frente de um mostruário de bolsas da Barbie com os dizeres: "Não me vejo, não compro" - FOTO: Foto: Reprodução/ Facebook
Leitura:

Durante esta semana, a foto de uma menina negra foi alvo de comentários racistas nas redes sociais. Na imagem, a criança, que está de frente para um mostruário de bolsas da Barbie, segura uma placa que está escrito: "Não me vejo, não compro", onde faz referência à campanha contra a falta de representatividade negra no mercado.

No perfil em que a foto foi postada na última quarta-feira (26), a imagem recebeu mais de 10 mil curtidas e compartihada mais de 710 vezes. Nos comentários houve frases de preconceito e até insinuações nazistas. A mãe da criança também foi alvo de comentários maldosos, como de ensinar a filha a se "fazer de vítima".

Entre os comentários, um usuário diz na foto: "olha o processo galera", lembrando que racismo é crime previsto no código penal. Já um internauta mostrou sua revolta diante de tanto preconceito: "Muitos não entenderam, não é questão dela poder ou não comprar a Barbie por ser branca, é não se sentir representada por uma Barbie branca, por não ter uma Barbie que se pareça com ela. Por favor, não existe racismo contra branco".

Houve casos de pessoas que compartilharam a foto e também sofreram agressão na rede social. O estudante pernambucano Ronald JF Santos Cruz, que postou a imagem por se sentir representado, relata que além dos comentários racistas contra a garota da foto, ele também foi alvo dos comentários preconceituosos por ser negro. Após uma série de denúncias sobre a imagem, o Facebook bloqueou o perfil do estudante, que não pode apagar os comentários e nem a foto do perfil. Ele disse que irá procurar o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para denunciar o caso.

Denúncia

Casos de racismo na internet podem ser denunciados no portal do Ministério Público Federal. É importante copiar o link da publicação a ser denunciada, além de fazer prints das denúncias antes de enviá-las ao órgão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias