SÃO PAULO

Corpo de menino morto após confusão com segurança da Habib's é exumado

Justiça determinou nova análise do corpo do garoto para esclarecer de fato a causa da morte

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 03/04/2017 às 14:23
Foto: Arquivo Pessoal
Justiça determinou nova análise do corpo do garoto para esclarecer de fato a causa da morte - FOTO: Foto: Arquivo Pessoal
Leitura:

O corpo do menino João Victor de Carvalho, de 13 anos, foi exumado na manhã desta segunda-feira (3) no Cemitério Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital paulista, por determinação da Justiça. Ele morreu no dia 26 de fevereiro após uma confusão com seguranças da unidade do Habib's localizada na Avenida Itaberaba.

Imagens de câmeras de segurança cedidas pelo Habib's mostram que o garoto discutiu com os seguranças da lanchonete usando um pedaço de pau. Já as câmeras da rua flagraram o menino sendo arrastado pelos funcionários e jogado no chão desacordado. Duas testemunhas afirmaram à Polícia Civil que viram João Victor ser agredido.

A Polícia Civil solicitou a exumação para atender um pedidos dos advogados da família do garoto. Um primeiro laudo pericial constatou que João Victor morreu por uso de drogas, localizou cocaína no sangue e não identificou marcas de agressões no corpo

Segundo o delegado Nicola Romanini, uma nova perícia vai indicar se João Victor morreu por ter sido agredido.

Depoimento

Em depoimento no 28º Distrito Policial (Freguesia do Ó), os funcionários negaram as agressões. A polícia também investiga a conduta do Habib's que, no final de março, divulgou comunicado à imprensa com os registros policiais envolvendo João Victor.

Para o Ministério Público, a empresa infringiu o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Na época, o Habib's não quis comentar o assunto. E sobre a morte do menino, a empresa afastou os dois funcionários e afirmou estar à disposição das autoridades.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias