RIO DE JANEIRO

Justiça liberta PM acusado pela morte de turista espanhola na Rocinha

O tenente da Policia Militar havia sido preso na segunda-feira (23), logo após a morte da vítima

JC Online
JC Online
Publicado em 24/10/2017 às 14:55
Foto: Agência Brasil
O tenente da Policia Militar havia sido preso na segunda-feira (23), logo após a morte da vítima - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O tenente da Policia Militar Davi dos Santos Ribeiro foi libertado provisoriamente, em audiência de custódia realizada nesta terça-feira (24). O PM é acusado pela morte da turista espanhola Maria Esperanza Jimenez Ruiz, de 67 anos, na comunidade da Rocinha, nessa segunda-feira (23).

Davi tinha sido preso em flagrante na segunda-feira, dia da morte. De acordo com a investigação, o policial teria atirado em um carro que levava turistas à Rocinha, na Zona Sul do Rio. Um dos projéteis acertou a espanhola, que morreu depois de ser socorrida.

“Neste contexto, se de um lado, o trágico acontecimento repercutiu nesta capital e no mundo, fato é que o custodiado estava trabalhando, possui imaculada ficha funcional, não havendo indícios de que solto possa reiterar o comportamento criminoso ocorrido à luz do dia”, afirmou o juiz na decisão.

O magistrado destacou que o militar não tem condições psicológicas de retornar às operações nas ruas e que deve ser afastado do exercício de policiamento ostensivo, exercendo apenas atividades administrativas. Ele também está proibido de manter contato com as testemunhas, inclusive com colegas militares que participavam da operação na Rocinha e vai responder por homicídio.

Operação

O tenente é lotado no 5°BPM e estava cedido ao 23°BPM em virtude do reforço no policiamento da região desde que começaram os confrontos na Rocinha. De acordo com a corporação, ele tem 30 anos e esta foi a primeira ocorrência de sua carreira que resultou na morte de alguém.

A vítima e outros dois turistas espanhóis foram à Rocinha para fazer um passeio turístico. O motorista que os levava deixou os turistas na parte alta da favela, acompanhados por um guia.

Na volta, depois que os turistas embarcaram no veículo, o motorista relatou ter se assustado com disparos, acelerado o carro já visto a espanhola baleada.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias