exemplo

Criança encontra celular avaliado em R$ 3 mil e devolve ao dono

Após 17 dias, uma menina de 8 anos brincava na areia, quando encontrou o celular avaliado em mais de R$ 3 mil

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 16/02/2018 às 8:57
Foto: Divulgação/Facebook
Após 17 dias, uma menina de 8 anos brincava na areia, quando encontrou o celular avaliado em mais de R$ 3 mil - FOTO: Foto: Divulgação/Facebook
Leitura:

Uma história conhecida como uma oferenda de Iemanjá foi solucionada. No primeiro dia deste ano, o empresário Fernando Darcie perdeu o seu celular quando foi pular as famosas ondinhas. Mas como toda boa história tem um final feliz, a do empresário segue essa linha. Após 17 dias, uma menina de 8 anos brincava na areia, quando encontrou o aparelho avaliado em mais de R$ 3 mil. A garota não pensou duas vezes e já buscou o dono para devolve-lo.

 

  

"Agradeço imensamente às almas maravilhosas Josiane Almeida e Marcio Nobrega, que fizeram o impossível e localizaram aqui, a 400km de distância e 17 dias depois, sem sequer terem noção de quem era, o dono do telefone nadador. Gente honesta assim tá cada dia mais em extinção, então quando casos surpreendentes como esse acontecem, nossas esperanças no futuro aumentam um bocadinho...", contou Fernando na sua conta do Facebook. 

 

  

 História

Após o achado da menina, o celular ainda se encontrava bloqueado. Mas os pais da pequena não desistiram e através das fotos contidas no cartão de memória do celular, encontraram dados que pudessem servir como pistas para entrar em contato com Fernando. 

 

  

"Seus pais tentaram, por 17 dias, descobrir quem era o dono do aparelho, que estava bloqueado. Optaram então por tirar o cartão de memória dele e, entre selfies & nudes ali contidos, acharam alguns prints de passagens aéreas e transações bancárias que continham meu nome. Daí tentaram contato comigo no Facebook, mas a mensagem foi praquela pasta filtrada e eu não vi. Mas eles não desistiram e conseguiram o celular na fanpage de tatuador do meu irmão (Edu TattooArt)". 

O empresário comentou no post a sua gratidão ao casal que precisou se deslocar aos Correios para realizar o envio do aparelho. "O Márcio teve que ir duas vezes aos correios em lugares distantes, pois na Barra do Sahy não tem agência, para conseguir me enviar o aparelho. O Márcio, a Josiane e a família deles são um exemplo mais do que inspirador pra termos força e seguirmos sendo os melhores seres humanos que podemos ser, para nós mesmos e para o mundo ao nosso redor".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias