ASSASSINATO

Anistia Internacional pede investigação rigorosa da morte de Marielle

O movimento destacou que a parlamentar, assassinada nessa quarta-feira (14), era reconhecida ''por sua histórica luta por direitos humanos''

JC Online
JC Online
Publicado em 15/03/2018 às 2:11
Foto: Reprodução/Facebook Marielle Franco
O movimento destacou que a parlamentar, assassinada nessa quarta-feira (14), era reconhecida ''por sua histórica luta por direitos humanos'' - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook Marielle Franco
Leitura:

A Anistia Internacional publicou no Facebook, nesta quinta-feira (15), uma nota pedindo "investigação imediata e rigorosa do assassinato" da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), registrado no Rio de Janeiro, nessa quarta-feira (14). O movimento destacou que a parlamentar era reconhecida "por sua histórica luta por direitos humanos, especialmente em defesa dos direitos das mulheres negras e moradores de favelas e periferias e na denúncia da violência policial".

Nota da Anistia Internacional sobre a morte de Marielle:

Assassinato da vereadora Marielle Franco

A vereadora foi morta a tiros na noite dessa quarta-feira (14) dentro do carro em que seguia para casa. O homem que dirigia o carro que levava a vereadora também morreu baleado.

Há oito dias, Marielle, que acompanhava na condição de vereadora a intervenção federal, como forma de coibir abusos das Forças Armadas e da polícia a moradores de comunidades, recebeu denúncias envolvendo PMs que patrulham a Favela de Acari, na zona norte do Rio. Moradores contaram, na primeira reunião do Observatório da Intervenção, no Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), da Universidade Candido Mendes, que dois homens foram assassinados por policiais e tiveram os corpos jogados num valão. Segundo estes moradores, a PM vem se sentindo "com licença para matar" por conta da intervenção.

 

Últimas notícias