LUTO

'Tão cheia de vida', define irmã de pernambucana morta na Nicarágua

Família lamenta morte da estudante Raynéia Gabrielle

JC Online
JC Online
Publicado em 24/07/2018 às 15:08
Foto: Reprodução/Facebook
Família lamenta morte da estudante Raynéia Gabrielle - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

Horas após a morte da estudante de medicina Raynéia Gabrielle Lima, de 31 anos, os primeiros sinais de lamento pelo caso começam a ser publicados nas redes sociais. Raynéia era pernambucana, natural de Vitória de Santo Antão e residia em Manágua, capital da Nicarágua, onde cursava medicina. No Facebook, a irmã, Ketelly Lima, lembrou do sonho que a jovem tinha em trabalhar na área de saúde.

"Restam as saudades" (sic)

A cidade onde a estudante morava passa por uma onda de protestos que pedem a saída do atual presidente, Daniel Ortega. O governo respondeu com violência aos manifestantes e ao menos 360 pessoas já foram mortas, a maior parte civis. Segundo amigos de Raynéia, ela não participava de nenhum tipo de manifestação no país. Informações preliminares apontam que ela teria sido metralhada por manifestantes.

Por meio de um comunicado digital, La Universidad Americana declarou profunda tristeza pela morte da estudante Raynéia. Afirmaram ainda fazer uma referência à pernambucana em sinal de luto e dor e em solidariedade aos estudantes da universidade e de todos os outros lugares do país. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias