Minas Gerais

Homem não percebe assalto em bar por estar no celular; veja o vídeo

As imagens, que foram gravadas pela câmera de segurança do estabelecimento, viralizaram nas redes sociais

Marina Costa
Marina Costa
Publicado em 26/10/2018 às 11:01
Foto: Reprodução/TV Alterosa
As imagens, que foram gravadas pela câmera de segurança do estabelecimento, viralizaram nas redes sociais - FOTO: Foto: Reprodução/TV Alterosa
Leitura:

O vídeo de um assalto em um bar em Nova Serrana, Minas Gerais, viralizou nas redes sociais após um homem não perceber a ação do assaltante por estar distraído enquanto usa o celular. O caso aconteceu nesse sábado (20). As informações são da TV Alterosa, afiliada mineira do SBT.

Nas imagens da câmera de segurança, é possível perceber o homem de camisa azul está encostado no balcão do estabelecimento, mexendo no celular. O assaltante chega armado ao bar, usando uma jaqueta preta e um capacete para proteger o rosto. Ele manda todos os clientes deitarem no chão e passa por trás de Carlos Almeida, que não percebe o assalto e vai até o balcão, onde pega recebe uma bolsa de um funcionário. Logo depois, ele passa novamente pelo homem de camisa azul e sai tranquilamente do local. A ação durou apenas 30 segundos.

Ao perceber os clientes no chão, segundos depois, o homem ri e pergunta porque todos estão deitados. Ao descobrir que tinha acontecido um assalto, ele correu assustado para dentro da casa da dona do bar, onde acabou arrombando a porta do quarto da residência.

Repercussão 

No Twitter, um usuário afirma estar indignado pela distração do cliente. Outros usuários comentam que acharam o caso engraçado e relembraram assaltos parecidos com o do bar. 

Hipótese de cúmplice 

"Nem vi o assalto e nem assaltante me viu", afirmou Carlos, em entrevista a TV Alterosa, que após o susto, acha o acontecimento engraçado.

Com a repercussão do vídeo, as pessoas estão comentando e questionando se o homem é cúmplice do assaltante. A hipótese logo descartada pela dona do estabelecimento, identificada como 'Betinha'. "Eu conheço ele e eu sei que ele jamais faria isso", informou.

"Pode deixar os outros falarem o que quiser", Carlos disse, despreocupado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias