Perda

Morre Wilson Mirza, um dos principais criminalistas brasileiros

Jurista defendeu presos e perseguidos políticos pela ditadura militar

Jennifer Thalis
Jennifer Thalis
Publicado em 27/11/2018 às 22:20
Foto: Foto: Reprodução / Ana Paula Oliveira Migliari / EBC
Jurista defendeu presos e perseguidos políticos pela ditadura militar - FOTO: Foto: Foto: Reprodução / Ana Paula Oliveira Migliari / EBC
Leitura:

O advogado Wilson Mirza Abraham, um dos decanos da advocacia criminal brasileira, morreu nesta terça-feira (27), no Rio de Janeiro, aos 84 anos. Com mais de 50 anos de carreira, o jurista defendeu presos e perseguidos políticos pela ditadura militar de 1964, entre eles, o ex-presidente João Goulart, o antropólogo Darcy Ribeiro e o ex-governador Leonel Brizola.

O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) soltou nota em que manifesta profundo pesar pela morte de Wilson Mirza. O advogado criminalista ingressou no IAB em 1976 e foi membro da Comissão de Direito Penal do instituto.

Trajetória

Graduado pela antiga Universidade do Estado da Guanabara (UEG), atual Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), o advogado se especializou em direito penal econômico e empresarial e atuou, nos últimos anos, como consultor do escritório Mirza & Malan Advogados, com sedes no Rio de Janeiro e em Brasília.

Wilson Mirza fez parte da Turma do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) responsável pelo julgamento de infrações ético-disciplinares. O advogado foi agraciado com o Colar do Mérito Judiciário pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias