GOIÁS

Abadiânia tem 150 demissões após denúncias contra João de Deus, diz prefeito

Pelo menos 150 pessoas foram demitidas de pousadas localizadas nas proximidades no centro de atendimento do médium

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 19/12/2018 às 14:02
Foto: EVARISTO SA / AFP
Pelo menos 150 pessoas foram demitidas de pousadas localizadas nas proximidades no centro de atendimento do médium - Foto: EVARISTO SA / AFP
Leitura:

Desde as denúncias de abuso sexual contra João de Deus vieram à tona, pelo menos 150 pessoas foram demitidas de pousadas localizadas nas proximidades no centro de atendimento, afirmou o prefeito de Abadiânia, José Aparecido Alves Diniz (PSD). "O levantamento ainda não terminou. Mas já identificamos essas demissões. Como o comércio é muito frágil, ao menor sinal de desaquecimento, as pessoas são dispensadas", disse.

Na terça-feira (18), o prefeito entrou em contato com o governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado e do governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. "Se atrairmos indústria para região, o impacto pode ser amenizado."

Casa Dom Inácio de Loyola

Nesta quarta-feira (19), menos de 200 pessoas procuraram a Casa Dom Inácio de Loyola, onde João de Deus faz os atendimentos. Isso representa cerca de 15% do movimento tradicional. Para atrair clientela cada vez mais escassa, lojas já começam a anunciar promoções.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias