Nobel da Paz

Colunista sugere Nobel da Paz a bombeiros que participam de resgate em Brumadinho

Juan Arias, do jornal El País, afirmou que os bombeiros 'fizeram de suas mãos um instrumento de paz'

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 02/02/2019 às 8:49
Foto: Mauro Pimentel/AFP
Juan Arias, do jornal El País, afirmou que os bombeiros 'fizeram de suas mãos um instrumento de paz' - FOTO: Foto: Mauro Pimentel/AFP
Leitura:

O colunista espanhol Juan Arias, do jornal El País, defendeu a entrega do prêmio Nobel da Paz aos bombeiros que participaram das buscas e do resgate de vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais. 

"Esses bombeiros fizeram de suas mãos, afundadas em toda a lama mortal, um instrumento de paz e de ilusão de poder encontrar vida", escreveu o colunista.

Outros detalhes

Ainda em sua coluna, Juan destaca que o Brasil, o qual classificou como "coração econômico do continente", nunca conquistou a láurea sueca em qualquer área.

Enquanto isso, a Argentina soma cinco prêmios da Academia sueca; o México, três; a Colômbia e a Guatemala, dois. Venezuela e Peru têm um Nobel cada.

Ainda segundo o colunista, a atuação dos bombeiros em Brumadinho coloca a oportunidade de incluir o país no rol dos premiados, já que os profissionais "conquistaram a simpatia e a admiração dentro e fora do país como exemplo de abnegação".

Atualização em Brumadinho

Uma equipe de agentes que trabalhava nesta sexta-feira (1º) na remoção de lama para tentar liberar uma das principais estradas de Brumadinho teve de paralisar seu trabalho porque encontrou um corpo enquanto retirava o rejeito. A equipe não era especializada em busca e salvamento.

A informação foi confirmada pelo secretário de meio ambiente de Brumadinho, Daniel Hilário de Lima Freitas. "Nossa equipe que estava lá teve que paralisar mesmo os trabalhos, porque não é responsável pela retirada das vítimas. Chamamos o Corpo de Bombeiros, que veio para transportar o corpo. O trabalho de desobstrução da estrada foi retomado no fim da tarde", disse.

A rota, segundo Freitas, é usada para ligar Brumadinho a seus principais distritos e também a Belo Horizonte, a pouco mais de 100 quilômetros de distância. Atualmente, há três estradas de Brumadinho que estão completamente bloqueadas. Por causa disso, o deslocamento que normalmente levaria 15 quilômetros, por exemplo, acaba se transformando em viagens de 70, 90 quilômetros de distância.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias