TRAGÉDIA

Bombeiros encontram mais um corpo em prédios que desabaram no RJ

Até o momento, 18 pessoas foram resgatadas, sendo dez com vida, mas duas morreram no hospital

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 15/04/2019 às 7:17
Notícia
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Até o momento, 18 pessoas foram resgatadas, sendo dez com vida, mas duas morreram no hospital - FOTO: Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

Subiu para onze o número de mortes no desabamento de dois edifícios na comunidade da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. Os bombeiros encontraram mais dois corpos nas últimas horas, sendo um na noite de domingo (14) e outro na manhã desta segunda-feira (15). 

De acordo com os bombeiros, a vítima localizada no domingo, uma mulher ainda não identificada, estava em um local de difícil acesso e os militares levaram cerca de três horas para retirar o corpo dos destroços.

As equipes de busca não confirmaram se o corpo encontrado nesta segunda era homem ou mulher.

Agora as equipes de resgate trabalham com a possibilidade de que 13 pessoas ainda estejam desaparecidas, de acordo com informações registradas na área do desabamento. Até o momento, 18 pessoas foram resgatadas, sendo dez com vida, mas duas morreram no hospital.

A operação de resgate segue hoje com a participação de mais de 100 militares, cães farejadores, drone, helicópteros, ambulâncias e veículos de recolhimento de corpos. O trabalho, que entrou no quarto dia, começou logo após o desabamento e segue ininterruptamente desde o início da manhã de sexta-feira (12).

Enterro de vítima

Nesse domingo, o pastor Cláudio Rodrigues, de 40 anos, foi a primeira vítima do desabamento dos prédios na Muzema a ser enterrada. O enterro foi à tarde, no Cemitério do Pechincha, na região de Jacarepaguá, também na zona oeste.

Rodrigues morava com a mulher e a filha, e os três estavam no apartamento na hora do acidente. A esposa, Adilma Rodrigues, de 35 anos, segue internada em estado grave no Hospital Lourenço Jorge. A filha, Clara Rodrigues, de 10 anos, também ficou ferida, mas já teve alta e passa bem.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias